"Bolsonaro nunca gostou nem de pobre nem de trabalhar", afirma colunista da Folha

Em sua coluna na Folha de S.Paulo nesta segunda-feira, o sociólogo Celso Rocha de Barros questiona: "Teremos um populismo puro-sangue de conservadorismo moral e intervencionismo econômico?

Celso Rocha de Barros e Jair Bolsonaro
Celso Rocha de Barros e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Enquanto o golpe não voltar ao cardápio, não vai ter jeito: Bolsonaro vai ter que dar uma trabalhada pelos pobres, justo ele, que nunca gostou, nem de pobre, nem de trabalhar", escreve Celso Rocha de Barros.

Para pensar os dilemas atuais do bolsonarismo, pode ser útil ler um ótimo livro que saiu recentemente nos Estados Unidos, 

"Em vez de fazer concessões materiais aos pobres como a direita moderada, 'populistas plutocráticos' como Donald Trump tentam satisfazer o eleitorado pobre com conservadorismo moral, racismo, homofobia e teorias da conspiração, enquanto dão aos ricos os cortes de impostos insustentáveis que eles querem", escreve o sociólogo citando um livro que saiu recentemente nos Estados Unidos, 'Let Them Eat Tweets', dos cientistas políticos Jacob Hecker e Paul Pierson. O título —'Que Comam Tweets'— é uma brincadeira com o 'Que comam brioches', atribuído a Maria Antonieta."

[...] "O interessante na comparação com o caso brasileiro é que o plano 'A' de Bolsonaro já era o ataque à democracia. Os pobres que se divertissem com o conservadorismo por alguns meses, depois do golpe eles perderiam o direito ao voto e ninguém nunca mais voltaria a ouvir falar deles".

[...] "Podemos apostar, nesse cenário, que o populismo plutocrático de Bolsonaro/Guedes vai dar lugar a um populismo “puro-sangue” de conservadorismo moral e intervencionismo econômico? É um cenário possível".

[...] "De qualquer jeito, o populismo plutocrático de Bolsonaro e Guedes está em crise. Se o bolsonarismo pós-Guedes der errado, podemos ter uma crise econômica terrível. Se der certo, o golpismo pode voltar a qualquer momento. O equilíbrio promete ser difícil", conclui.

Leia a íntegra

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247