Campanha ‘Gente boa também mata’ é alvo do Conar

Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) irá abrir processo referente a polêmica campanha "Gente boa também mata", do Ministério dos Transportes; criada pela agência Nova/sb, a campanha foi alvo de uma enxurrada de críticas por associar pessoas que realizam boas ações com quem mata no trânsito; depois da polêmica, o governo Temer anunciou que retiraria os banners; processo do Conar tem como base as reclamações de consumidores

Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) irá abrir processo referente a polêmica campanha "Gente boa também mata", do Ministério dos Transportes; criada pela agência Nova/sb, a campanha foi alvo de uma enxurrada de críticas por associar pessoas que realizam boas ações com quem mata no trânsito; depois da polêmica, o governo Temer anunciou que retiraria os banners; processo do Conar tem como base as reclamações de consumidores
Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) irá abrir processo referente a polêmica campanha "Gente boa também mata", do Ministério dos Transportes; criada pela agência Nova/sb, a campanha foi alvo de uma enxurrada de críticas por associar pessoas que realizam boas ações com quem mata no trânsito; depois da polêmica, o governo Temer anunciou que retiraria os banners; processo do Conar tem como base as reclamações de consumidores (Foto: Paulo Emílio)

247 - O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) irá abrir processo referente a polêmica campanha "Gente boa também mata", do Ministério dos Transportes.

Criada pela agência Nova/sb, a campanha foi alvo de uma enxurrada de críticas na internet por associar pessoas que realizam boas ações com quem mata no trânsito. Depois da polêmica, o governo Temer anunciou que retiraria os banners de circulação.

O processo do Conar tem como base as reclamações de consumidores. Segundo as queixas, a campanha "denigre a imagem de pessoas que lutam pela sociedade". O processo também pede a retirada de todas as peças da campanha em veiculação.

A campanha deverá ser julgada pelo conselho de ética do Conar em um prazo máximo de 40 dias.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247