Candidato em Goiânia repudia aliança entre imprensa e crime

Sobre pedido de escuta ilegal a Cachoeira por parte da revista Veja, que queria gravar Jovair Arantes, o petebista diz lamentar a associação entre "setores da imprensa" e a contravenção; grampo foi divulgado pela CartaCapital

Candidato em Goiânia repudia aliança entre imprensa e crime
Candidato em Goiânia repudia aliança entre imprensa e crime (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247 - Líder do PTB da Câmara dos Deputados e candidato à prefeitura de Goiânia, Jovair Arantes (PTB) comentou via nota oficial as informações divulgadas pela revista Carta Capital desta semana. A publicação mostra gravações da Polícia Federal em que a revista Veja, por meio do editor da sucursal de Brasília, Policarpo Júnior, pede a Carlinhos Cachoeira que faça grampo ilegal no deputado. Jovair afirma ser "lamentável que setores da imprensa se associem à contravenção e usem de métodos ilegais para prejudicar e perseguir representantes legitimamente eleitos pelo povo."

Eis um trecho da conversa captada pela Operação Monte Carlo entre Policarpo e Cachoeira, do dia 26 de julho do ano passado:

Policarpo – É o seguinte, não, eu queria te pedir uma dica, você pode falar?

Carlinhos – Pode falar.

Policarpo – Como é que eu levanto aí uma ligaçóes do Jovair Arantes, deputado?

Carlinhos – Vamos ver, uai. Pra quando,que dia?

Policarpo – De imediato, com a turma da Conab.

Carlinhos – O Neguinho.

Policarpo – Hã?

Carlinhos – Deixa eu ver com ele, o Neguinho, vou falar para ele te procurar aí.

Jovair afirma na nota que a reportagem prova o que ele sempre afirmou: nunca esteve envolvido com Carlos Cachoeira e jogo ilegal. “As transcrições reveladas pela revista Carta Capital, diferente do que acusam meus adversários, apenas reforçam que a organização tentava me prejudicar e me tirar da disputa municipal, pois eu já estava viabilizando minha pré-campanha para ser o candidato à prefeito de Goiânia da nossa base. Tenho a convicção de que a CPMI, o Ministério Público Federal e o Poder Judiciário passarão a limpo toda a teia de relações desse grupo criminoso, separando joio do trigo”, ressalta o candidato.

Adversários de Jovair na corrida eleitoral pela Prefeitura de Goiânia tentam vincular o candidato do PTB aos negócios de Cachoeira. Mais uma vez, o petebista rechaça qualquer tipo de envolvimento com o empresário, que está preso. “O que a revista Carta Capital apresenta nesta última edição, apenas comprova o que eu já afirmei: nunca tive e não tenho qualquer tipo de ligação nem relação comercial ou pessoal com o Sr. Carlos de Almeida Ramos. O contato que tive com o este senhor, a exemplo do que fiz com tantos outros, e que já foi confirmado por mim mesmo à imprensa, foi no período pré-eleitoral com o empresário, pedindo apoio político”.

Conhecido por ser um deputado atuante no Congresso Nacional e ser próximo da presidenta Dilma Rousseff (PT), Jovair ressalta sua lisura na vida pública. Ele diz que não está na política para atender aos desejos de terceiros. “Faço política com o povo e para o povo sem representar qualquer outro interesse que não seja o da nossa sociedade. É este espírito que move minha candidatura à Prefeitura de Goiânia. Não há nada que irá tirar o nosso foco de fazer política limpa, como sempre fiz, e de buscar a vitória nas urnas trabalhando 24 horas por Goiânia."

Leia a íntegra da nota:

"É lamentável que setores da imprensa se associem à contravenção e usem de métodos ilegais para prejudicar e perseguir representantes legitimamente eleitos pelo povo. As transcrições reveladas pela revista Carta Capital, diferente do que acusam meus adversários, apenas reforçam que a organização tentava me prejudicar e me tirar da disputa municipal, pois eu já estava viabilizando minha pré campanha para ser o candidato à prefeito de Goiânia da nossa base. Tenho a convicção de que a CPMI, o Ministério Público Federal e o Poder Judiciário passarão a limpo toda a teia de relações desse grupo criminoso, separando joio do trigo.

O que a revista Carta Capital apresenta em sua última edição apenas comprova o que eu já afirmei: nunca tive e não tenho qualquer tipo de ligação nem relação comercial ou pessoal com o Sr. Carlos de Almeida Ramos. O contato que tive com o este senhor, a exemplo do que fiz com tantos outros, e que já foi confirmado por mim mesmo à imprensa, foi no período pré eleitoral com o empresário, pedindo apoio político.

Faço política com o povo e para o povo sem representar qualquer outro interesse que não seja o da nossa sociedade. É este espírito que move minha candidatura à Prefeitura de Goiânia. Não há nada que irá tirar o nosso foco de fazer política limpa, como sempre fiz, e de buscar a vitória nas urnas trabalhando 24 horas por Goiânia."

Campanha

O candidato pela coligação Goiânia 24 Horas, Jovair realizou caminhada no Jardim do Cerrado, ontem, e ouviu dos moradores reclamações e revolta com a atual administração municipal. Os principais focos de insatisfação dizem respeito à falta de pavimentação asfáltica, que forma nuvens de poeira no local, e baixa pontualidade dos ônibus que passam sempre atrasados pelo bairro.

"Os políticos que vêm aqui só prometem e não fazem nada. As ruas estão intransitáveis, com buracos e postes caindo. Estamos cansados e abandonados à nossa própria sorte", disse o presidente da Associação de Moradores do Jardim do Cerrado, Sebastião Machado. Jovair se comprometeu a asfaltar todo bairro assim que assumir a prefeitura. "Não faço promessa, faço compromisso", disse o candidato. "O bairro existe há dois anos e foi entregue sem o asfalto. É mais uma obra inacabada que a atual administração inaugurou".

A caminhada terminou na feira localizada na principal avenida do setor, onde Jovair ouviu mais reclamações. Uma comissão de feirantes relatou que, em 2010, pediu à prefeitura a instalação de banheiros químicos, mas o pedido foi negado. Mostrou também documentos pedindo uma equipe para fazer a limpar as ruas depois da feira, mas outra vez o apelo não trouxe resultados positivos para comunidade local.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email