Carta Capital: por que as três maiores semanais do País estão com a mesma capa?

O blog Midiático, da revista Carta Capital, questiona a publicidade do governo de Michel Temer nas três das maiores revistas do País, Veja, Época e IstoÉ, que trouxeram nesta semana capa publicitária em defesa da reforma da Previdência; "Essa foi apenas mais uma investida publicitária do governo federal em defesa da reforma da Previdência. Desde meados de 2017 são frequentes as inserções, especialmente na TV aberta, com mensagens a favor da reforma", diz o blog, lembrando que no ano passado, o governo destinou 170 milhões para despesas com comunicação no Orçamento

O blog Midiático, da revista Carta Capital, questiona a publicidade do governo de Michel Temer nas três das maiores revistas do País, Veja, Época e IstoÉ, que trouxeram nesta semana capa publicitária em defesa da reforma da Previdência; "Essa foi apenas mais uma investida publicitária do governo federal em defesa da reforma da Previdência. Desde meados de 2017 são frequentes as inserções, especialmente na TV aberta, com mensagens a favor da reforma", diz o blog, lembrando que no ano passado, o governo destinou 170 milhões para despesas com comunicação no Orçamento
O blog Midiático, da revista Carta Capital, questiona a publicidade do governo de Michel Temer nas três das maiores revistas do País, Veja, Época e IstoÉ, que trouxeram nesta semana capa publicitária em defesa da reforma da Previdência; "Essa foi apenas mais uma investida publicitária do governo federal em defesa da reforma da Previdência. Desde meados de 2017 são frequentes as inserções, especialmente na TV aberta, com mensagens a favor da reforma", diz o blog, lembrando que no ano passado, o governo destinou 170 milhões para despesas com comunicação no Orçamento (Foto: Aquiles Lins)

247 - O blog Midiático, da revista Carta Capital, questiona a publicidade do governo de Michel Temer nas três das maiores revistas do País, Veja, Época e IstoÉ, que trouxeram nesta semana capa publicitária em defesa da reforma da Previdência. 

"Essa foi apenas mais uma investida publicitária do governo federal em defesa da reforma da Previdência. Desde meados de 2017 são frequentes as inserções, especialmente na TV aberta, com mensagens a favor da reforma", diz o blog. 

O veículo lembra que no ano passado, o governo destinou 170 milhões para despesas com comunicação no Orçamento. Entre janeiro e junho, havia executado 100 milhões, incluídos os anúncios em defesa da reforma da Previdência.

"Sobre os custos da nova ação publicitária, não é possível estimar o preço. Os veículos de comunicação têm tabelas para seus espaços publicitários, mas elas nunca são levadas ao pé da letra. Os anunciantes costumam obter descontos, mas o governo tende a aceitar reduções menores no valor do que o setor privado. Neste caso, por se tratar de um formato inusual, quase nunca usado pelos veículos, as negociações provavelmente ocorreram caso a caso e envolveram valores também incomuns para os padrões do mercado", dia a Carta. 

"Crítica contumaz da reforma da Previdência, CartaCapital obviamente não foi brindada com o anúncio. A direção informa que, mesmo se procurada, teria recusado a propaganda, por considerar falsas as premissas que embasam a defesa das mudanças na aposentadoria. Não seria a primeira vez. CartaCapital recusa qualquer publicidade que considere enganosa ou prejudicial aos consumidores e cidadãos", diz a revista.

Leia o texto na íntegra no blog Midiático, da Carta Capital.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247