China bloqueia Gmail

Governo chins interrompe acesso ao servio de emails do Google

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Já havia desconfiança, mas agora o Google confirma: o governo chinês está bloqueando o acesso ao serviço de emails oferecido pela empresa, Gmail. O gigante de buscas comentou oficialmente que os “grandes muros da China” estão interrompendo especificamente essa plataforma de emails no país.

Desde a semana passada, os usuários da plataforma naquele país têm postado reclamações em blogs e no Twitter sobre a lentidão ou a falta de acesso por completo ao serviço. Mas o plano do governo chinês foi bem estruturado. Ao que parece, o país bloqueou o acesso de uma forma que fosse similar a um problema técnico, de responsabilidade do próprio Google.

A porta voz do Google, Christine Chen, afirmou que o serviço não estava passando por nenhum problema técnico e que o caso parecia mais um problema governamental. Disse a mensagem da empresa: “Não há problemas técnicos de nossa parte – nós checamos extensivamente. Esse é um bloqueio governamental, planejado cuidadosamente para que pareça um problema do Gmail”.

A confirmação do Google de que o bloqueio vem do governo chinês não irá colaborar com a boa relação entre os países. Este não é o primeiro episódio enfrentado pelas duas nações, sobre o mesmo tema. Em dezembro de 2009, um ataque feito por hackers chineses tentou infiltrar o acesso a contas do Gmail mantidas por ativistas de direitos humanos. Resultado: o Google reduziu as operações no país oriental.

A suposição para o bloqueio do serviço do Google por parte do governo chinês é a de restringir o acesso das organizações civis para evitar a Revolução de Jasmim, protestos inspirados no Meio Oeste e no Norte da África. As revoluções são organizadas por algumas cidades chinesas, todos os domingos. A palavra “Jasmim” e outros termos relacionados a protestos antigoverno no Oriente Médio não podem mais ser buscados nos microblogs do país.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247