CIA emite alerta sobre cloroquina de Trump e Bolsonaro: pode matar

A CIA emitiu um alerta a seus agentes para que não usem a hidroxicloroquina, o remédio propagandeado por Trump e Bolsonaro como solução para a Covid-19. Segundo a agência, o remédio pode causar “morte cardíaca súbita"

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro e Donald Trump
Jair Bolsonaro e Donald Trump (Foto: Reuters | Reprodução)


247 -  O Washington Post, em reportagem intitulada “Remédio promovido por Trump é alvo de alerta da CIA”, informou que uma semana após a recomendação de Trump  o serviço de espionagem dos EUA avisou seus agentes que a hidroxicloroquina poderia causar “morte cardíaca súbita”. O remédio é propagandeando tanto por Trump como por Bolsonaro como “solução mágica” para a pandemia de coronavírus.

O registro, feito por Nelson de Sá em sua coluna, anota ainda que na reportagem, o Washington Post identificou os problemas com a droga no Brasil: “um estudo no Brasil sobre a cloroquina, similar à hidroxicloroquina, foi interrompido porque participantes desenvolveram problemas cardíacos”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O New York Times foi além e dedicou uma reportagem só ao estudo brasileiro, destacando que foi “encerrado após pacientes desenvolverem batimentos cardíacos irregulares”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email