Com olhares atônitos, Bonner e Renata Vasconcelos narram o vídeo da mais vulgar reunião ministerial de que já se teve notícia

A edição do Jornal Nacional desta noite de sexta-feira, 22, fez longa matéria sobre o vídeo da reunião ministerial que chocou o país. Os piores momentos da reunião foram mostrados sem cortes, apenas com alguns ‘bloqueadores sonoros’ para omitir o baixo calão de Bolsonaro

Jornal Nacional e Bolsonaro
Jornal Nacional e Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Jornal Nacional não poupou o governo em sua edição desta sexta-feira, 22. A incredulidade foi tanta, que permeou toda a cobertura do telejornal sobre a famigerada reunião ministerial. Eles destacaram as falas chocantes de Damares Alves, Ricardo Salles, Abraham Weintraub e do próprio Bolsonaro, sem cortes. 

Antes, o jornal apresentou o despacho do ministro Celso de Mello sobre a quebra do sigilo do vídeo. A leitura de trechos inteiros foi destacada, sublinhando o contraste entre a linguagem do ministro e a de Bolsonaro, bem como a perplexidade embutida no texto do decano. 

A partir dali, o jornal soltou os trechos da fala de Bolsonaro que mais chocaram as redes sociais. As agressões a Doria e a Witzel, as ameaças a Moro, a insensibilidade em se comentar a pandemia e a habitual truculência verbal do ex-capitão.

O jornal ainda rastreou a confissão de Bolsonaro, dizendo que, sim, recebeu informações privilegiadas de agentes da Polícia Federal do Rio sobre operações contra sua família.  

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247