Crime encomendado?, questiona Cynara Menezes sobre esfaqueamento contra jornalista

A jornalista destacou que alguns objetos do repórter Gabriel Luiz foram encontrados e descartou a hipótese de assalto

www.brasil247.com - Jornalista Cynara Menezes
Jornalista Cynara Menezes (Foto: Editora 247)


247 - A jornalista Cynara Menezes levantou a hipótese de o esfaqueamento contra o jornalista da Globo Gabriel Luiz ter sido encomendado, após a informação de que o celular e a carteira dele foram encontrados. "O celular do jornalista foi encontrado; a carteira não foi roubada. Ou seja, assalto não foi. Crime encomendado?", escreveu a jornalistas no Twitter.

O repórter denunciava os perigos do funcionamento de um clube de tiro em Brazlândia, uma região administrativa do Distrito Federal.

De acordo com o portal G1, um morador repassou o aparelho a um investigador da Polícia Civil, que levou o objeto até a 3ª Delegacia de Polícia, no Cruzeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O jornalista foi atingido por golpes no pescoço, no abdômen, no tórax e na perna. Teve perfurações no estômago, no pâncreas, no pulmão e no diafragma. Também levou facadas no braço e no pulso, no pescoço e na perna esquerda, com menor gravidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email