DCM: Pagar Youtubers para enganar seus filhos e você é golpe vagabundo

"Esses rapazes estão sendo pagos com dinheiro público para enganar o público", observa o jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo; "Não há qualquer aviso de que a discurseira é um comercial. É um estelionato", completa

"Esses rapazes estão sendo pagos com dinheiro público para enganar o público", observa o jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo; "Não há qualquer aviso de que a discurseira é um comercial. É um estelionato", completa
"Esses rapazes estão sendo pagos com dinheiro público para enganar o público", observa o jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo; "Não há qualquer aviso de que a discurseira é um comercial. É um estelionato", completa (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A nova do governo Temer é pagar Youtubers para "enganar seus filhos e você", escreve o jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo. Para ele, trata-se de um "golpe vagabundo".

"Esses rapazes estão sendo pagos com dinheiro público para enganar o público", observa. "Não há qualquer aviso de que a discurseira é um comercial. É um estelionato", completa.

Ele destaca ainda ser "natural" que os jovens youtubers "virassem garotos propaganda. Até aí, ótimo. A questão é a falta de transparência". "Seria demais esperar que uma administração nascida de uma farsa jurídica acompanhada de uma empulhação nas ruas, cujo intuito era colocar uma quadrilha no poder, se preocupasse com questões éticas", critica.

Leia aqui a íntegra.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email