DCM: "Panelaço não foi reação espontânea"

O panelaço que estampou capas dos principais jornais brasileiros não foi uma reação espontânea às palavras ditas por Dilma Rousseff em seu discurso no Dia Internacional da Mulher, mas sim uma resposta à convocação feita pela internet, segundo líderes de grupos que atuam nas redes sociais; o barulho foi articulado na semana anterior por pelo menos três grupos: Revoltados Online, Vem pra Rua e Movimento Brasil Livre; "Independente do que fosse dito ela tomaria o panelaço”, afirma Marcello Reis, líder do Revoltados Online

O panelaço que estampou capas dos principais jornais brasileiros não foi uma reação espontânea às palavras ditas por Dilma Rousseff em seu discurso no Dia Internacional da Mulher, mas sim uma resposta à convocação feita pela internet, segundo líderes de grupos que atuam nas redes sociais; o barulho foi articulado na semana anterior por pelo menos três grupos: Revoltados Online, Vem pra Rua e Movimento Brasil Livre; "Independente do que fosse dito ela tomaria o panelaço”, afirma Marcello Reis, líder do Revoltados Online
O panelaço que estampou capas dos principais jornais brasileiros não foi uma reação espontânea às palavras ditas por Dilma Rousseff em seu discurso no Dia Internacional da Mulher, mas sim uma resposta à convocação feita pela internet, segundo líderes de grupos que atuam nas redes sociais; o barulho foi articulado na semana anterior por pelo menos três grupos: Revoltados Online, Vem pra Rua e Movimento Brasil Livre; "Independente do que fosse dito ela tomaria o panelaço”, afirma Marcello Reis, líder do Revoltados Online (Foto: Valter Lima)

DCM - O panelaço que estampou capas dos principais jornais brasileiros nesta segunda-feira não foi uma reação espontânea às palavras ditas por Dilma Rousseff em seu discurso no Dia Internacional da Mulher, mas sim uma resposta à convocação feita pela internet, segundo líderes de grupos que atuam nas redes sociais.

Registrado em diversas cidades, o barulho foi articulado na semana anterior por pelo menos três grupos: Revoltados Online, Vem pra Rua e Movimento Brasil Livre. Por meio de montagens fotográficas com imagens de Dilma e Lula no Facebook, os grupos convidavam a população para o bate panela, independente do que a presidente dissesse em seu pronunciamento oficial.

“Independente do que fosse dito ela tomaria o panelaço”, completa Marcello Reis, líder do Revoltados Online, movimento que reivindica a autoria da mobilização digital. “É importante frisar que a iniciativa partiu da gente.”

“(O panelaço) Teve comunicação prévia, sim”, confirmou à BBC Brasil Kim Kataguri, porta-voz do Brasil Livre. “Depois se espalhou de maneira espontânea.”

Os mesmos grupos estão entre os principais articuladores dos protestos marcados para o próximo 15 de março a favor do impeachment de Dilma.

“A gente queria preparar um esquenta para as manifestações da semana”, explica Reis.
O “esquenta” continua: desde o episódio, as páginas conclamam seus seguidores a enviarem fotos interagindo com a imagem da presidente em seu pronunciamento. A maior parte das imagens compartilhadas pela página mostra gestos obcenos.

“Não orientamos ninguém a fazer essa coisa do dedo”, diz Reis, do Revoltados Online. “Compartilhei a imagem de um médico amigo meu fazendo o gesto e as pessoas começaram a repetir.”

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247