DCM: Rose de Freitas provou que impeachment é um circo, um crime

Para o jornalista Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo (DCM), a confissão da senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), de que "não teve esse negócio de pedalada" sobre o motivo do afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff (leia aqui), mostra que o impeachment é "uma farsa, um circo, um crime"; "O que as futuras gerações dirão sobre o que está ocorrendo? Como jovens brasileiras e brasileiros lidarão com a vergonha suprema do impeachment? Como vão encarar um capítulo da história tão baixo, tão cínico, tão mentiroso?", questiona

Para o jornalista Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo (DCM), a confissão da senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), de que "não teve esse negócio de pedalada" sobre o motivo do afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff (leia aqui), mostra que o impeachment é "uma farsa, um circo, um crime"; "O que as futuras gerações dirão sobre o que está ocorrendo? Como jovens brasileiras e brasileiros lidarão com a vergonha suprema do impeachment? Como vão encarar um capítulo da história tão baixo, tão cínico, tão mentiroso?", questiona
Para o jornalista Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo (DCM), a confissão da senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), de que "não teve esse negócio de pedalada" sobre o motivo do afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff (leia aqui), mostra que o impeachment é "uma farsa, um circo, um crime"; "O que as futuras gerações dirão sobre o que está ocorrendo? Como jovens brasileiras e brasileiros lidarão com a vergonha suprema do impeachment? Como vão encarar um capítulo da história tão baixo, tão cínico, tão mentiroso?", questiona (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo (DCM), afirmou neste domingo, 26, que a confissão da senadora Rose de Freitas (PMDB-ES), de que "não teve esse negócio de pedalada" sobre o motivo do afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff (leia aqui), mostra que o impeachment é "uma farsa, um circo, um crime".

"O que as futuras gerações dirão sobre o que está ocorrendo? Como jovens brasileiras e brasileiros lidarão com a vergonha suprema do impeachment? Como vão encarar um capítulo da história tão baixo, tão cínico, tão mentiroso?", questiona.

"Você pode se defender de uma acusação quando tem alguma chance de desbaratá-la. Mas como se defender de uma mentira que os acusadores sabem ser mentira? Esta é a situação de Dilma", acrescenta. 

Leia na íntegra o artigo de Paulo Nogueira. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247