DCM: Temer impediu Marcela de falar porque o lugar das mulheres é no supermercado

"O pronunciamento de Michel Temer no Dia Internacional da Mulher é antológico. Não apenas pelas platitudes, mas pelo anacronismo. O cidadão que confundiu Carlos Magno com rei Artur poderia ter ficado calado e dar a palavra a Marcela. Seria uma atitude cavalheiresca e de bom senso", escreve o jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo; "Ao final do vexame, com as pessoas em choque, Marcela teve dois minutos para não dizer nada"

marcela temer
michel temer
marcela temer michel temer (Foto: Gisele Federicce)

247 - "O pronunciamento de Michel Temer no Dia Internacional da Mulher é antológico. Não apenas pelas platitudes, mas pelo anacronismo. O cidadão que confundiu Carlos Magno com rei Artur poderia ter ficado calado e dar a palavra a Marcela. Seria uma atitude cavalheiresca e de bom senso", afirma o jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo (leia aqui).

"A vaidade invencível casada com a ignorância galopante fez com que ele deixasse a patroa sentadinha no lugar que lhe é reservado nos fundos do palco", diz Nogueira. 

"Ao final do vexame, com as pessoas em choque, Marcela teve dois minutos para não dizer nada. Mesmo para os parâmetros de indigência nacional, Michel é uma vergonha. Corra, Marcela, corra", conclui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247