Youtuber indígena que defende Bolsonaro já apoiou Jean Wyllys

A youtuber indígena Ysani Kalapalo, que diz ser "indigena de direita" irá apoiar Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Ysani diz que as queimadas na Amazônia são fake news e que a imprensa tenta incriminar Bolsonaro por algo que ele não fez. Ysani já foi apoiadora de Jean Wyllys e chegou a combater a homofobia

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A youtuber indígena Ysani Kalapalo, que diz ser "indigena de direita" irá apoiar Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Ysani diz que as queimadas na Amazônia são fake news e que a imprensa tenta incriminar Bolsonaro por algo que ele não fez. Ysani já foi apoiadora de Jean Wyllys e chegou a combater a homofobia. 

A reportagem da BBC relembra o momento em que a youtuber apoiou Jean Wyllys: "olá a todos. É uma honra estar aqui hoje. Foi um privilégio receber o convite do grande deputado Jean Wyllys. Acompanho a luta dele há muito tempo, desde a época do programa Big Brother (risos). O que eu vou falar hoje é da luta dos povos indígenas, que também se compara muito à luta dos homossexuais."

A matéria destaca que "à saudação se seguiu uma fala contundente contra a homofobia e contra movimentos religiosos que, na avaliação de Ysani, tentavam impor aos indígenas sua visão conservadora de mundo, questionando-lhes até mesmo o direito à alma."

No presente momento, Ysani defende Bolsonaro: "existe muito fake news dizendo sobre as queimadas. Estão dizendo que é culpa do governo Bolsonaro, que ele entrou e está queimando todo o Xingu. Não existe isso daí. A nossa cultura é fazer roça pra plantar mandioca e pra plantar outras coisas. Isso faz parte da nossa cultura, não é porque entrou um novo governo e ele tá queimando tudo. Nessa época de ano, essa época quente, sempre houve queimadas pra queimar roça. Isso faz parte, é normal. Isso é tudo exagero que a mídia está fazendo, não é culpa do governo", afirma Ysani em um vídeo de dois minutos e meio postado há dois dias na página do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, com legendas em inglês.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email