De anônima à milionária

Mais nova sensao da Internet, Rebecca Black fatura milhes com a terrvel cano Friday

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Rebecca Black foi anunciada aqui na sexta-feira como a mais nova estrela virtual. Hoje, ela pode ser definida como a mais nova estrela virtual... milionária! A garota americana de 13 anos que gravou um clipe com seus amigos e publicou na Internet já tem nada menos do que 33 milhões de visualizações no YouTube. A canção “Friday” sofreu uma série de críticas dos internautas, mas segundo uma estimativa da revista americana Billboard, já rende à cantora US$ 27 milhões por semana.

No iTunes, o programa de downloads de música da Apple, a música está como número 45 na lista de mais vendidas. Já foi comprada centenas de milhares de vezes. De acordo com a distribuidora independente 101 Distribution, o iTunes paga 70 centavos ao artista por cada download feito. Até hoje, a garota gastou – ou melhor, a mãe dela – apenas US$ 2 mil para gravar o som, que se tornou viral na Internet.

Mesmo que não tenha sido por Rebecca, a sensação virtual já subiu aos palcos. No último domingo, a banda Jonas Brothers cantou um trecho do hit durante um show em Los Angeles. Os garotos usaram a música como introdução para a música deles “Fly With Me”. A canção de Rebecca foi considerada uma das piores de todos os tempos, com todos os tipos possíveis de reclamações dos internautas. Na última sexta-feira, a garota assumiu chorar quando viu os comentários maldosos. “Eu não acho que sou a melhor cantora, mas também não sou a pior”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email