'Delação de Pessoa não sustenta impeachment'

Jornalista Kennedy Alencar critica o retorno dos levantes da oposição por um eventual impeachment, com base na delação do dono da UTC; "O impedimento de um presidente, uma saída extrema, não deveria ser incorporado ao debate político cotidiano. Impeachment não é remédio para crise política. Não é medida que se aplique sem prova", emenda; Kennedy lembra que Pessoa doou dinheiro para campanhas eleitorais de diversos partidos, inclusive o PSDB

Jornalista Kennedy Alencar critica o retorno dos levantes da oposição por um eventual impeachment, com base na delação do dono da UTC; "O impedimento de um presidente, uma saída extrema, não deveria ser incorporado ao debate político cotidiano. Impeachment não é remédio para crise política. Não é medida que se aplique sem prova", emenda; Kennedy lembra que Pessoa doou dinheiro para campanhas eleitorais de diversos partidos, inclusive o PSDB
Jornalista Kennedy Alencar critica o retorno dos levantes da oposição por um eventual impeachment, com base na delação do dono da UTC; "O impedimento de um presidente, uma saída extrema, não deveria ser incorporado ao debate político cotidiano. Impeachment não é remédio para crise política. Não é medida que se aplique sem prova", emenda; Kennedy lembra que Pessoa doou dinheiro para campanhas eleitorais de diversos partidos, inclusive o PSDB (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Kennedy Alencar afirmou nesta segunda-feira, 29, que a delação premiada do dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa, é insuficiente para sustentar um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. 

"A oposição comete um erro ao voltar a insistir no debate sobre o eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff a partir de relatos da delação premiada de Ricardo Pessoa, presidente da UTC", diz Alencar. "O impedimento de um presidente, uma saída extrema, não deveria ser incorporado ao debate político cotidiano. Impeachment não é remédio para crise política. Não é medida que se aplique sem prova", emenda.

A delação premiada de Ricardo foi homologada na sexta-feira pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki. Trechos do depoimento à Procuradoria Geral da República foram publicados na imprensa no fim de semana.

Kennedy Alencar lembra que o dono da UTC doou dinheiro para campanhas eleitorais de diversos partidos, inclusive o PSDB, do senador Aécio Neves. "Se Ricardo Pessoa contribuiu, como dizem os relatos, para abrir canais com quem poderia lhe dar contratos públicos, isso deveria valer para todos aqueles que receberam contribuições eleitorais do dono da UTC e da Constran. Os valores são milionários para integrantes de partidos do governo e também da oposição", afirma. 

Leia aqui a íntegra do texto. 

Leia também: UTC doou mais a Aécio do que a Dilma na campanha de 2014

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247