Demori sobre Deltan: 'não é uma beleza você usar seu cargo como procurador pra eliminar seus adversários?'

Jornalista do Intercept se refere aos ex-senadores Gleisi Hoffmann e Roberto Requião, que eram vistos como "inimigos" pelos procuradores da Lava Jato, conforme mensagens trocadas por eles pelo Telegram. Deltan Dallagnol cogitou concorrer ao Senado em 2018 e deixou em aberto disputar em 2022

Leandro Demori Deltan Dallagnol
Leandro Demori Deltan Dallagnol

247 - "Não é uma beleza você usar seu cargo como procurador pra eliminar seus adversários e depois concorrer com pista livre? É lindo". A mensagem é do jornalista Leandro Demori, editor do site The Intercept, que publico nesta terça-feira 3 um novo capítulo da Vaza Jato.

Mensagensn trocadas pelo Telegram revelam um plano político do coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, que cogitou concorrer ao Senado em 2018 e deixou em aberto disputar 2022. Nas conversas, Gleisi Hoffmann e Roberto Requião, então senadores pelo Paraná, eram vistos como "inimigos".

"Vc se elege fácil e impede um dos nossos inimigos no Senado: Requiao ou Gleise caem", escreveu  o procurador Vladimir Aras a Deltan Dallagnol em 14 de dezembro de 2016.

Dallagnol respondeu: "Não resolve o problema. Ajuda se o MPF lançar um candidato por Estado. Seria totalmente diferente e daria trabalho, mas pode ser uma das estratégias para uma saída". "No PR não precisaria ser eu rs, mas eu apoiaria fortemente essa rede de candidatos", acrescenta.

Aras então sugere outros dois nomes: o do então juiz Sergio Moro - hoje ministro de Jair Bolsonaro - e o do então procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, hoje aposentado. "Vc e Moro. Ou Carlos", diz Vladimir Aras.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247