Destino de Cunha está traçado: será cassado e esquecido, diz Singer

Cientista político André Singer política afirma neste sábado, 5, que o presidente da Câmara agiu de forma "irresponsável" ao acolher o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff; para ele, a peça jurídica conta Dilma é "artificial, manipulada sem escrúpulos"; "Convém afastar as ilusões: não haverá ganho nesta refrega", afirma; para ele, se chegar a acontecer, o mandato do PMDB terminará em isolamento semelhante ao que acomete hoje o Planalto

Cientista político André Singer política afirma neste sábado, 5, que o presidente da Câmara agiu de forma "irresponsável" ao acolher o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff; para ele, a peça jurídica conta Dilma é "artificial, manipulada sem escrúpulos"; "Convém afastar as ilusões: não haverá ganho nesta refrega", afirma; para ele, se chegar a acontecer, o mandato do PMDB terminará em isolamento semelhante ao que acomete hoje o Planalto
Cientista político André Singer política afirma neste sábado, 5, que o presidente da Câmara agiu de forma "irresponsável" ao acolher o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff; para ele, a peça jurídica conta Dilma é "artificial, manipulada sem escrúpulos"; "Convém afastar as ilusões: não haverá ganho nesta refrega", afirma; para ele, se chegar a acontecer, o mandato do PMDB terminará em isolamento semelhante ao que acomete hoje o Planalto (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Cientista político André Singer política afirma neste sábado, 5, que o presidente da Câmara agiu de forma "irresponsável" ao acolher o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Em gesto irresponsável, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, acabou por considerar admissível o pedido de impeachment contra a presidente da República. Uma peça jurídica artificial, manipulada sem escrúpulos, joga agora o centro das decisões nacionais em guerra estéril. Convém afastar as ilusões: não haverá ganho nesta refrega", afirmou. 

"Quanto a Cunha, o destino está traçado. Será cassado pelos pares e, depois, esquecido pela história, que não se ocupa de personagens menores. Mas, como homem-bomba, deixa abacaxi e tanto. Já pequena diante dos desafios da crise econômica e da Lava Jato, a política fica mais perdida na cerração provocada pela admissibilidade do impedimento", afirma. 

Singer criticou também o presidente do PSDB, Aécio Neves. "Qual o projeto nacional do senador Aécio Neves, presidente do PSDB, que na quarta (2) saudou a decisão de Cunha? O que ele faria diferente de cortar e cortar gastos, esperando que ao fim do austericídio comece a haver uma recuperação, como agora parece ser o caso, por exemplo, na Espanha? A impopularidade da gestão Aécio seria similar à atual", afirmou. 

Leia na íntegra o artigo de André Singer. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247