Dimenstein pede desculpas e diz: procuradores da Lavo Jato são canalhas morais

Os comentários de procuradores da Lava Jato em Curitiba sobre a morte familiares do ex-presidente Lula levaram o jornalista Gilberto Dimenstein a pedir desculpas pelo apoio que deu a força-tarefa nos últimos anos. "Depois dos comentários que li sobre parentes mortos de Lula, vi que eles são canalhas morais", escreveu o jornalista

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Diante da série de reportagens do The Intercept, que revelaram a troca de mensagens de procuradores da Lava Jato e do juiz Sergio Moro, desmontou a áurea sagrada que a operação construiu ao longo dos últimos anos. O jornalista Gilberto Dimenstein usou a sua página nas redes sociais para fazer um pedido de desculpas aos seus leitores pela defesa que fez dos procuradores.

"Peço desculpas - mil desculpas - aos meus leitores por ter falado tão bem e defendido tanto os procuradores da Lavo Jato. Considero que o resultado tem amplos pontos positivos. Mas depois dos comentários que li sobre parentes mortos de Lula, vi que eles são canalhas morais", escreveu o jornalista.

Ele se refere aos novos trechos revelados pelo Intercept em parceria com o site Uol, que mostraram o deboche de membros do Ministério Público Federal (MPF-PR) sobre a morte de Dona Maria Letícia, de Vavá e Arthur, irmão e neto do ex-presidente, respectivamente. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email