"Divulgar informações, ainda que produto de violação, não é crime", lembra Pannuzio

O jornalista Fabio Pannuzio rebate a tese do ministro Sergio Moro, que tenta associar os suspeitos presos por "hacker" a Vaza Jato; "Se os caras que foram presos no interior de SP foram mesmo os hackers que obtiveram de maneira ilícita os diálogos entre Moro e Dallagnol, azar deles. Eu não defendo quem pratica esse tipo de delito. Mas prender quem viola é muito diferente de prender ou deportar quem divulga"

247 - A narrativa construída pelo ministro da Justiça Sergio Moro que dissemina a versão de que os supostos "hackers" que teriam invadido os celulares dele e de Dallagnol estariam vinculados ao escândalo da Vaza Jato, não reverbera. 

Para o jornalista Fabio Pannunzio, da Band, a movimentação financeira citada pelas investigações pode apontar para a existência de um mandante, mas é preciso lembrar que a liberdade de imprensa é uma garantia constituicional.

Segundo Pannuzio, a PF deve apurar quem encomendou , "mas divulgar as informações, reitero, ainda que produto de violação, não é crime", em referência aos escândalo revelado pela Vaza Jato.

"Se os caras que foram presos no interior de SP foram mesmo os hackers que obtiveram de maneira ilícita os diálogos entre Moro e Dallagnol, azar deles. Eu não defendo quem pratica esse tipo de delito. Mas prender quem viola é muito diferente de prender ou deportar quem divulga", acrescendou o jornalista em sua redes sociais..

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247