Dora Kramer: Temer continua tendo que se explicar

Dora Kramer analisa a possibilidade de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, rever os termos do acordo que garantiu a Joesley Batista imunidade total como prêmio da delação de ilícitos envolvendo Michel Temer; a advocacia de Temer comemorou, dizendo que "isso muda tudo", o que para Dora Kramer é "precipitação e leviandade"

Dora Kramer analisa a possibilidade de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, rever os termos do acordo que garantiu a Joesley Batista imunidade total como prêmio da delação de ilícitos envolvendo Michel Temer; a advocacia de Temer comemorou, dizendo que "isso muda tudo", o que para Dora Kramer é "precipitação e leviandade"
Dora Kramer analisa a possibilidade de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, rever os termos do acordo que garantiu a Joesley Batista imunidade total como prêmio da delação de ilícitos envolvendo Michel Temer; a advocacia de Temer comemorou, dizendo que "isso muda tudo", o que para Dora Kramer é "precipitação e leviandade" (Foto: Romulo Faro)

247 - Dora Kramer analisa em seu blog na Veja a possibilidade de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, rever os termos do acordo que garantiu a Joesley Batista imunidade total como prêmio da delação de ilícitos envolvendo Michel Temer. 

A advocacia de Temer comemorou, dizendo que "isso muda tudo", o que para Dora Kramer é "precipitação e leviandade".

"Primeiro porque uma possível revisão consta nos termos do acordo, segundo porque é a possibilidade do recuo o que obriga o delator a falar a verdade, terceiro porque demonstra que Janot não sobrepõe suas convicções aos fatos, quarto porque sinaliza aos candidatos à delação o real caminho das pedras, quinto _ e talvez o mais importante _ porque a eventual retirada de benefícios não corresponde à nulidade das provas já coletadas", escreve Dora Kramer.

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247