Eliane aponta coleção de retrocessos e Brasil no colo de Trump após um ano de Bolsonaro

"No mais, o governo abriu tudo para os EUA, mas, até agora, ninguém sabe, ninguém viu, no que isso conta a favor dos interesses do Brasil. A olho nu, não se vê pragmatismo, muito menos reciprocidade. Só Trump ri. Não tem graça nenhuma", diz a jornalista

Jornalista Eliane Cantanhêde
Jornalista Eliane Cantanhêde (Foto: Reprodução/vídeo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Em seu balanço sobre 2019, a jornalista Eliane Cantanhêde aponta uma coleção de retrocessos e o Brasil no colo dos Estados Unidos. "Fica o histórico de manifestações do presidente da República, ora machistas, ora homofóbicas, ora pró-ditadores sanguinários, ora acusando Paulo Freire de 'energúmeno'. Para que? Ninguém sabe, mas o fato é que os filhos vão atrás. Sem citar hienas e 'golden shower', ambas de péssima lembrança", diz ela, em sua coluna de fim de ano.  

"No mais, o governo abriu tudo para os EUA, mas, até agora, ninguém sabe, ninguém viu, no que isso conta a favor dos interesses do Brasil. A olho nu, não se vê pragmatismo, muito menos reciprocidade. Só Trump ri. Não tem graça nenhuma", afirma.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247