Eliane: cadê Henrique Alves para botar ordem na Casa?

Colunista da Folha fala do risco de parlamentares anti e pró o "cada de pau" Marco Feliciano partirem para a ignorância, para as vias de fato no Congresso

Eliane: cadê Henrique Alves para botar ordem na Casa?
Eliane: cadê Henrique Alves para botar ordem na Casa?
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O clima no Congresso Nacional está cada vez mais explosivo entre parlamentares que apoiam o pastor Marco Felicia (PSC) e os que o querem fora da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara. Para a colunista da Folha, Eliane Cantanhêde, não demora até que partam para a ignorância e questiona o "sumiço" do presidente da Câmara nesse conflito. Leia:

Vão partir para a ignorância?

BRASÍLIA - O deputado e pastor Feliciano não é mole. Além da cara de pau de assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, ele resiste a todas as pressões e ponderações para sair de onde nunca deveria ter entrado e, agora, parte para o ataque.

Autor de frases racistas e homofóbicas, alvo de processos no Supremo Tribunal Federal (um deles por estelionato) e flagrado dando uma bronca numa ovelha do seu rebanho que lhe passou o cartão de crédito, mas não a senha, Feliciano se coloca como vítima e joga a polícia parlamentar em cima de manifestantes.

Um foi detido por chamá-lo de "racista" e o outro (até devidamente, cá entre nós), por tentar invadir o seu gabinete. Pior: enquanto chama a polícia, Feliciano aciona os militantes do outro lado: os irmãos de fé.

Aliás, a convocação é do seu partido, o PSC. Ao comunicar, desassombradamente, que o pastor seria mantido na presidência da comissão, o vice-presidente nacional do partido, o também pastor Everaldo Pereira, disse que o camarada é "ficha limpa" e ameaçou: "Não fazemos ameaças, mas, se for preciso convocar centenas de militantes que pensam como nós, também vamos convocar". Que medo!

O risco é o Congresso virar um palco de guerra entre manifestantes anti-Feliciano e pró-Feliciano, com tudo o que isso significa em termos de direitos humanos, de minorias, de avanços, de atraso. Se ficasse só nas ideias, ótimo. Continuando no grito, já é preocupante. E se partirem para a ignorância, para as vias de fato?

No meio da desordem, pergunta-se: cadê o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que é o parlamentar mais experiente e tem a política no sangue? Ele não só disse que a situação era "insustentável" como se comprometeu a resolvê-la rapidamente. Daí? Daí, nada.

Políticos resolvem as coisas parlamentando, negociando, ajustando contrários. Mas é a velha história: "Em casa de ferreiro, espeto de pau".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email