Eliane Cantanhêde divulga informação inverossímil de que militares temeriam tumultos nas ruas se Lula perdesse eleições

Para militares, diz a jornalista, "o problema está na esquerda. Lula tem liderança, está ressentido e conta sindicalistas e radicais para produzir tumultos"

www.brasil247.com - Eliane Cantanhêde e Lula
Eliane Cantanhêde e Lula (Foto: Reprodução | Ricardo Stuckert)


247 - A jornalista Eliane Cantanhêde, em artigo publicado no Estado de S. Paulo, dissemina uma informação que não parece ser real: a de que militares estariam preocupados com uma "convulsão nacional" nas ruas em caso de derrota do ex-presidente Lula (PT) na eleição presidencial.

Apesar de todos os ataques de Jair Bolsonaro (PL) à democracia, rememorados no próprio artigo - "Para um filho, basta “um cabo e um soldado” para invadir o Supremo, para um então ministro, os ministros da Corte deveriam ser presos, daqui e dali fala-se em “novo AI-5”. E o próprio presidente ameaça descumprir ordem judicial em pleno Sete de Setembro" - a jornalista questiona: 'quem ameaça mais a democracia?', em referência a Lula e Bolsonaro.

Sem apontar qualquer fonte crível, a jornalista escreve que "o problema, para setores militares e bolsonaristas, porém, está na esquerda. Segundo eles, Lula tem liderança, está ressentido depois de preso e conta com MST, sindicalistas e radicais, com capacidade para produzir tumultos de rua, quebra-quebra e ameaças à democracia em caso de derrota".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cantanhêde destaca: "não considero esse risco, mas escrevo porque se trata de informação relevante, para ficar no radar o que setores bolsonaristas pensam e, eventualmente, podem usar para validar algum tipo de 'reação à altura'".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A jornalista, assim, aponta uma suposta fonte anônima para sustentar uma informação inverossímil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por fim, Cantanhêde reconhece: "na realidade, foi Bolsonaro quem desde o início do seu governo armou civis, foi complacente com o motim da PM no Ceará e forçou alianças com as polícias. E é ele quem insiste na fake news de que a eleição de 2018 foi fraudada e as urnas eletrônicas não são confiáveis. É ele, enfim, quem replica Trump, capaz de estimular o Capitólio".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email