Eliane também não dá o braço a torcer

Acusada de ter disseminado rumores sobre um cenário de pré-apagão inexistente, colunista da Folha usa e-mail de um dos órgãos participantes para justificar emergência na reunião organizada pelo governo para discutir o "risco de racionamento"

Eliane também não dá o braço a torcer
Eliane também não dá o braço a torcer
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Na manhã de ontem, o jornalista Luís Nassif, da Agência Dinheiro Vivo, acusou a também jornalista Eliane Cantanhêde, sua ex-colega na Folha de S. Paulo, de ter disseminado rumores sobre um cenário de pré-apagão inexistente.

Na edição de hoje da Folha, ela rebate as críticas, com o que diz ser uma carta na manga contra o governo, que nega crise no setor elétrico: um e-mail da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica que desmarca uma assembleia geral por conta da convocação para a reunião de Dilma. Leia:

Aos 45 do segundo tempo

BRASÍLIA - Como previsto, o governo tentou desmentir a manchete de segunda daFolha sobre a reunião de emergência do setor elétrico marcada para ontem para discutir o nível preocupante dos reservatórios, ou o que o setor privado vem chamando, talvez com exagero, de "risco de racionamento".

Desmentir notícias desconfortáveis, aliás, é comum a todos os governos: "O que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde".

Por isso, guardei uma carta, literalmente, na manga: o e-mail enviado por um dos órgãos participantes às 17h56 da última sexta-feira: "A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica - CCEE informa aos agentes que a 53ª Assembleia Geral Extraordinária foi transferida para o dia 14 de janeiro [...]. O adiamento deve-se à coincidência da data anterior [9/1] com a reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), convocada pelo Ministério de Minas e Energia".

Não se desmarcam assembleias gerais do dia para a noite, porque elas custam um dinheirão, envolvem dezenas de pessoas na organização, centenas de convidados e deslocamentos. A CCEE só fez isso porque foi convocada de última hora, cinco dias antes, para a reunião de Brasília.

O governo, porém, insiste que é coincidência que a reunião ocorra no meio do turbilhão -e da assimetria das chuvas. O ministro Lobão até me disse que estava marcada havia "um ano". Para comprovar, me remeteu para o cronograma de reuniões no site do ministério.

Sim, estava lá, mas o cronograma foi postado no site precisamente às 15h14min30s de segunda, dia 7, horas depois de a manchete da Folha sacudir o governo, o setor, talvez o leitor/consumidor.

Há muito o que discutir: as falhas do sistema, a falta de planejamento, a birra de são Pedro, os custos das térmicas e, enfim, como ser transparente com indústrias, concessionárias e usuários. Aliás, uma obrigação de qualquer governo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email