Em pleno Jornal Nacional, Felipe Neto denuncia bolsonaristas por ameaças graves e perseguição na própria casa

Perseguido por bolsonaristas nas redes e até em sua própria casa, o empresário e influenciador digital Felipe Neto afirmou, no Jornal Nacional, que está percebendo agora na prática até onde as pessoas são capazes de ir. “Virem atrás de mim, dentro da minha casa, é um nível de perseguição que eu não imaginei que aconteceria”

(Foto: Reprodução/TV Globo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Jornal Nacional foi até Felipe Neto ouvir o relato das ameaças gravíssimas que o youtuber recebeu de bolsonaristas. Felipe se disse incrédulo diante de tamanha violência: “estou vendo agora na prática até onde as pessoas são capazes de ir”.

Segundo reportagem do portal G1, eis o episódio que chocou Felipe: “nesta terça-feira (29), homens acompanhados de um carro de som foram até a entrada do condomínio onde Neto mora. Um deles se identifica nas redes sociais como "Cavallieri, o guerreiro de Bolsonaro" (...) Em outra publicação nas redes sociais, ele aparece segurando um fuzil, ao lado de crianças assustadas, e ameaça o influenciador.”

As palavras do bolsonarista foram: “é, Felipe Neto. A gente vai se encontrar em breve. Eu quero ver se tu é macho. (...) Eu quero ver tu tirar onda comigo. Teus seguranças não me intimidam, não, irmão, que aqui também o bonde é pesado."

Em entrevista ao JN, o youtuber afirmou: “virem atrás de mim, dentro da minha casa, é um nível de perseguição que eu não imaginei que aconteceria. É o tipo de coisa que você vê em filme, vê em série, mas nunca imagina que realmente aconteça.”

E prosseguiu: “você vê em novela. Sabe aquele vilão de novela que você diz assim: 'não existe na vida real'. Mas existe, ele está aí, ele acontece, e estou vendo agora na prática até onde as pessoas são capazes de ir."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247