Em Veja, PQQ vira "cafajeste" e Pilha é o agressor

Ao relatar o episódio que resultou na prisão do blogueiro Rodrigo Grassi, conhecido como Rodrigo Pilha, Veja alivia a barra do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), afirmando que ele chamou o blogueiro de "cafajeste", quando as imagens revelam um parlamentar descontrolado, que o manda à "puta que o pariu" e o chama de "vagabundo"; Veja afirma ainda que Pilha foi preso por atirar uma garrafa d'água no senador, o que também não aconteceu, como demonstram as imagens de episódio; diante disso, a questão é: qual a razão para proteger Aloysio? 

Em Veja, PQQ vira "cafajeste" e Pilha é o agressor
Em Veja, PQQ vira "cafajeste" e Pilha é o agressor (Foto: André Coelho/ O Globo)

247 - Ao relatar o caso da agressão do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) ao blogueiro Rodrigo Grassi, conhecido como Rodrigo Pilha, a revista Veja deste fim de semana reescreve a história e ignora as próprias imagens do episódio. Segundo a revista, ao ser provocado, Nunes o chama de "cafajeste", quando as imagens mostram um parlamentar descontrolado, que manda Pilha "à puta que o pariu" o chama de "vagabundo". Assista abaixo: 

Na mesma reportagem, chamada "Talibãs à solta", Veja afirma que Pilha foi preso pela Polícia do Senado após atirar uma garrafa d'água no senador – o que as imagens também demonstram ser falso. Assista:

Diante disso, a questão é: o que leva Veja, que age com o fundamentalismo de um talibã, a proteger de forma tão ostensiva um senador que perdeu o controle de maneira desnecessária?

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247