“Estamos num processo civilizatório e o bolsonarismo será superado”, diz autor de livro sobre o tema

O jornalista e escritor Cesar Calejon, autor do livro “A Ascensão do bolsonarismo no Brasil do século XXI”, acredita que o desenvolvimento não será interrompido pela existência de Bolsonaro. “[No passado], as crises precisaram se agudizar para que em seguida o avanço se consolidasse”, lembra. Assista na TV 247

Cesar Calejon
Cesar Calejon (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O jornalista Cesar Calejon, autor do livro “A Ascensão do bolsonarismo no Brasil do século XXI”, disse, em entrevista à TV 247, que o desenvolvimento brasileiro não cessará diante das marcas que serão provocadas pelo governo Jair Bolsonaro.

Assim como outros “ditadores”, segundo Calejon, Bolsonaro será superado pelo desenvolvimento e pelo avanço. “Acho que boa parte da população se sente representada porque foi criada nesse contexto elitista, histórico, machista, violento. Eu não acredito que ela seja mais eficiente para o longo prazo, acho que você pode conversar com uma parcela da população que ainda se identifica com esse tipo de coisa, mas a gente está vivendo em um processo civilizatório. Esse processo não vai parar, esse processo não parou porque todos os outros ditadores que precederam o nosso desenvolvimento existiram, pelo contrário, eles foram parte desse processo de desenvolvimento, então as crises precisaram se agudizar para que em seguida o avanço se consolidasse”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à fala de Cesar Calejon:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email