Estudo indica que avalanche de fake news no Facebook começou em 2015 para o golpe contra Dilma

Pesquisa aponta que o ápice das fake news no Facebook aconteceu durante o governo Jair Bolsonaro e no início da pandemia da Covid-19

www.brasil247.com -
(Foto: Fernando Donasci | Pedro França/Agência Senado | Reuters)


247 - Um estudo elaborado por pesquisadores da Universidade Positivo, de Curitiba, aponta que o crescimento do número de páginas com fake news no Facebook começou em 2015, ainda durante a pressão pelo golpe contra a então presidente eleita Dilma Rousseff, e avançou durante as eleições de 2018, quando foi registrado um primeiro pico favorável a Jair Bolsonaro. O ápice de notícias falsas e de interações foi registrado nos primeiros meses da pandemia de Covid-19. 

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a pesquisa usou dados do aplicativo CrowdTangle, que mostra as publicações mais populares na rede social, para analisar o avanço das notícias falsas na plataforma do Facebook. No estudo, foram avaliados 27 perfis classificados como propagadores de fake news e as análises envolveram publicações e interações entre os anos de  2010 a 2020. Ao todo, foram detectadas 253,7 milhões de interações em 206,6 mil publicações.

Entre as principais páginas apontadas como divulgadores de fake news estão o Jornal da Cidade Online, O Jacaré de Tanga, Diego Rox, Gospel Prime, Dr. Robert Rey, VlogdoLisboa, Nando Moura, Terça Livre TV, Diário do Brasil e Terra é Plana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os pesquisadores identificaram que, além dos picos anteriores, as páginas também registraram movimentação semelhante em janeiro de 2019, no início do mandato de Jair Bolsonaro, e em março de 2019, início da pandemia no Brasil. Já o ápice das interações sobre as postagens foi apontado após a Polícia Federal cumprir mandados no âmbito do inquérito das fake news, que apura o financiamento e a divulgação de fake news e ameaças ao Supremo Tribunal Federal (STF).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email