Ex-ministra prevê guerra total entre PT e PMDB

Jornalista Helena Chagas, titular da Secretaria de Comunicação da Presidência da República de janeiro de 2011 a janeiro de 2014, acredita em um confronto épico entre os ex-aliados caso o processo de impeachment prospere; ida de petistas para ministérios deixados vagos por peemedebistas e outros ex-aliados do governo serve à prospecção de malfeitos; aliados de Temer que se preparam para assumir ministérios ocupados por petistas farão a mesma coisa: “Não vai sobrar pedra sobre pedra”, profetiza

Jornalista Helena Chagas, titular da Secretaria de Comunicação da Presidência da República de janeiro de 2011 a janeiro de 2014, acredita em um confronto épico entre os ex-aliados caso o processo de impeachment prospere; ida de petistas para ministérios deixados vagos por peemedebistas e outros ex-aliados do governo serve à prospecção de malfeitos; aliados de Temer que se preparam para assumir ministérios ocupados por petistas farão a mesma coisa: “Não vai sobrar pedra sobre pedra”, profetiza
Jornalista Helena Chagas, titular da Secretaria de Comunicação da Presidência da República de janeiro de 2011 a janeiro de 2014, acredita em um confronto épico entre os ex-aliados caso o processo de impeachment prospere; ida de petistas para ministérios deixados vagos por peemedebistas e outros ex-aliados do governo serve à prospecção de malfeitos; aliados de Temer que se preparam para assumir ministérios ocupados por petistas farão a mesma coisa: “Não vai sobrar pedra sobre pedra”, profetiza (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A jornalista Helena Chagas, ex-ministra chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República de janeiro de 2011 a janeiro de 2014, prevê uma guerra total entre PT e PMDB caso o processo de impeachment resulte na ascensão de Michel Temer ao Palácio do Planalto.

Segundo relata em post no blog Os divergentes, a ida de petistas para ministérios deixados vagos por peemedebistas e outros ex-aliados do governo serve ao acúmulo de munição para um confronto épico. “Na verdade, Carlos Gabas, na Aviação Civil, ex-pasta de Moreira Franco, Eliseu Padilha e Mauro Lopes, e Alessandro Teixeira, no Turismo que foi de Henrique Eduardo Alves, teriam uma missão: vasculhar e levantar mal-feitos nas gestões peemedebistas.

De outro lado, diz Chagas, aliados de Temer se preparam para assumir ministérios ocupados por petistas nos últimos anos com o mesmo objetivo.

“Não vai sobrar pedra sobre pedra”, profetiza.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email