Facebook serve à espionagem

Segundo Julian Assange, criador do Wikileaks, governo americano usa redes sociais para investigar pessoas

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O criador do Wikileaks, Julian Assange, acredita que o Facebook é uma horrorosa ferramenta de espionagem americana. Foi o que revelou em uma entrevista ao veículo Rusia Today. Na conversa, que pode ser vista no vídeo com tradução em espanhol, ao lado, o jornalista australiano que revelou informações confidenciais ao mundo todo por meio de seu site criticou o comportamento de veículos da imprensa como o americano The New York Times e o britânico The Guardian que, segundo ele, selecionam as informações oferecidas pelo Wikileaks, e elogiou o espanhol El País e o americano The Washington Post, pela parceria na divulgação das descobertas.

Assange considera que os internautas expõem uma quantidade considerável de informações pessoais em sites como Yahoo, Google e Facebook e que especialmente este último seria “a máquina de espionagem mais horrorosa jamais inventada”. Segundo o jornalista, os membros desta rede social mantêm informações que pode ser muito útil para os serviços de inteligência dos Estados Unidos e que o governo constrói uma base de dados com estas informações.

Um exemplo atual citado por Assange na entrevista foi a relação com as manifestações populares ocorridas no Egito em janeiro e fevereiro deste ano. Uma prova de que as redes sociais são usadas como espionagem é que um dos primeiros alertas divulgados pelos líderes da revolta popular era não usar o Facebook e o Twitter. Em relação à imprensa, Assange critica os meios de comunicação que, para ele, fazem pouco para evitar guerras e derrubar governos corruptos. “Na minha opinião, os veículos, em geral, são tão ruins que devemos nos perguntar se o mundo não estaria melhor sem eles”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email