Fernando Morais: Temer discursa na ONU com ‘cara mais limpa do mundo’

Jornalista e escritor expõe a contradição do discurso de Michel Temer nesta segunda durante reunião sobre refugiados e imigrantes na ONU, em Nova York, onde defendeu que "os países devem facilitar a inclusão, e não criminalizar a migração"; "Faltou ele revelar", lembra Morais, "que uma das primeiras medidas de seu governo foi suspender as negociações iniciadas por Dilma com a EU para que o Brasil recebesse cem mil famílias de exilados sírios"

Jornalista e escritor expõe a contradição do discurso de Michel Temer nesta segunda durante reunião sobre refugiados e imigrantes na ONU, em Nova York, onde defendeu que "os países devem facilitar a inclusão, e não criminalizar a migração"; "Faltou ele revelar", lembra Morais, "que uma das primeiras medidas de seu governo foi suspender as negociações iniciadas por Dilma com a EU para que o Brasil recebesse cem mil famílias de exilados sírios"
Jornalista e escritor expõe a contradição do discurso de Michel Temer nesta segunda durante reunião sobre refugiados e imigrantes na ONU, em Nova York, onde defendeu que "os países devem facilitar a inclusão, e não criminalizar a migração"; "Faltou ele revelar", lembra Morais, "que uma das primeiras medidas de seu governo foi suspender as negociações iniciadas por Dilma com a EU para que o Brasil recebesse cem mil famílias de exilados sírios" (Foto: Gisele Federicce)

247 - O jornalista e escritor Fernando Morais criticou em sua página no Facebook o discurso de Michel Temer nesta segunda-feira 19 na ONU, durante reunião sobre refugiados e imigrantes.

Segundo Morais, "com a cara mais limpa do mundo", Temer defendeu que "os países devem facilitar a inclusão, e não criminalizar a migração". "Faltou ele revelar que uma das primeiras medidas de seu governo foi suspender as negociações iniciadas por Dilma com a EU para que o Brasil recebesse cem mil famílias de exilados sírios", lembra.

Leia a íntegra de seu post:

com a cara mais limpa do mundo, o postiço michel temer abriu sua fala na onu, hoje cedo, com as seguintes palavras:

- os países devem facilitar a inclusão, e não criminalizar a migração.

faltou ele revelar que uma das primeiras medidas de seu governo foi suspender as negociações iniciadas por dilma com a união européia para que o brasil recebesse, nos próximos anos, cem mil famílias de exilados sírios - que fogem de uma guerra que já matou quase meio milhão de pessoas em cinco anos.

a desculpa de falta de recursos é mentirosa. para se ter uma ideia, no começo deste ano a ue autorizou a transferência de seis bilhões de euros (quase 25 bilhões de reais) para a turquia, que já recebeu centenas de milhares de refugiados sírios.

temer é filho de imigrantes libaneses. se essa decisão dele estivesse valendo cem anos atrás, o destino teria poupado o brasil de sua desagradável companhia.

Conheça a TV 247

Mais de Mídia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247