Financial Times: mídia social suplanta TV no Brasil

O jornal americano Financial Times (FT) publicou uma matéria de página inteira destacando o poder das mídias sociais no Brasil, informa o jornalista Nelson de Sá em sua coluna, no jornal Folha de S. Paulo; o FT relata o esvaziamento do 'Jornal Nacional' e a supremacia crescente das redes sociais em torno das narrativas políticas em curso no país, para o bem ou para o mal; para o FT, a TV aberta brasileira perdeu o viço e o país pode se tornar o primeiro do mundo a trocar em definitivo a TV pela internet

Financial Times: mídia social suplanta TV no Brasil
Financial Times: mídia social suplanta TV no Brasil
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornal americano Financial Times (FT) publicou uma matéria de página inteira destacando o poder das mídias sociais no Brasil, informa o jornalista Nelson de Sá em sua coluna, no jornal Folha de S. Paulo. O FT relata o esvaziamento do 'Jornal Nacional' e a supremacia crescente das redes sociais em torno das narrativas políticas em curso no país, para o bem ou para o mal. Para o FT, a TV aberta brasileira perdeu o viço e o país pode se tornar o primeiro do mundo a trocar em definitivo a TV pela internet.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca a cobertura internacional sobre as mídias brasileiras: "o texto [do Financial Times] abre com um 'guerreiro cultural' de Bolsonaro se vangloriando de 'brigas online', inclusive com o Jornal Nacional —que o FT descreve como 'o telejornal mais popular, que antes da era da mídia social exercia o poder de determinar vencedores e perdedores nas eleições brasileiras'."

O jornal americano ainda sublinha a declaração de Marco Aurélio Ruediger, da FGV: "você tem uma situação em que as redes sociais estão extremamente polarizadas, e a TV foi enfraquecida como principal veículo através do qual ganhar corações e mentes. O Brasil vai se tornar um caso a ser estudado, que vai reverberar através do mundo, porque as redes são uma força monstruosamente poderosa nesta eleição.”

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247