Florestan: Toffoli já pode pedir à PF provas contra Deltan

"Se abrir investigação contra Deltan, Toffoli poderá pedir à PF as provas lícitas das conversas que incriminam o procurador da Lava Jato encontradas com os Hackers de Araraquara. Procurador galo de briga só existe quando tem apoio institucional, Deltan já não tem mais", afirmou o jornalista Florestan Fernandes Jr.

(Foto: 247 | ABr | STF)

247 - O jornalista Florestan Fernandes Jr. afirmou que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, pode pedir à Polícia Federal "provas lícitas" contra o procurador Deltan Dallagnol. 

"Se abrir investigação contra Deltan, Toffoli poderá pedir à PF as provas lícitas das conversas que incriminam o procurador da Lava Jato encontradas com os Hackers de Araraquara. Procurador galo de briga só existe quando tem apoio institucional, Deltan já não tem mais", escreveu Florestan no Twitter.

Segundo as novas revelações do Intercept Brasil, com reportagem feita em parceira com o jornal Folha de S.Paulo, Deltan Dallagnol violou a Constituição e a lei ao incentivar colegas em Brasília (DF) e em Curitiba (PR) a investigar Dias Toffoli sigilosamente em 2016. O ministro era visto pela operação como um adversário disposto a frear seu avanço.

Dallagnol buscou informações sobre as finanças pessoais de Toffoli e sua mulher, além de evidências que ligassem os dois a empreiteiras envolvidas com a corrupção na Petrobrás.

O procurador violou a Constituição, porque ministros do STF podem ser investigados apenas com autorização do próprio tribunal, onde quem atua em nome do Ministério Público Federal é o procurador-geral da República.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247