Globo já passa a tratar Bolsonaro como representante da extrema-direita

O colunista Guga Chacra, da Globonews, passou a definir Jair Bolsonaro pelo que ele efetivamente é: um extremista. "Bolsonaro se tornou um dos mais conhecidos líderes da extrema direita internacional e estará no palco das Nações Unidas", escreveu. Até agora, os jornalistas da mídia conservadora brasileira eram proibidos de qualificar Bolsonaro como de extrema-direita

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O gruop Globo de comunicação, co-responsável pela ascensão do neofascismo no Brasil, passou finalmente a se referir a Jair Bolsonaro como um extremista. 

Foi o que fez o colunista Guga Chacra, ao escrever que seu discurso na ONU deve atrair os holofotes internacionais por dois motivos: "O primeiro, claro, é a questão da Amazônia, que se tornou uma das prioridades da agenda internacional. Em segundo lugar, Bolsonaro se tornou um dos mais conhecidos líderes da extrema direita internacional e estará no palco das Nações Unidas. Muitos nunca o viram falar. Será a primeira vez. Expectativa é de que pode ser memorável como os de Chávez e Kadafi", disse ele, em sua coluna.

Até agora os jornalistas que trabalham na mídia conservadora eram proibidos de se referir a Bolsonaro como alguém de extrema-direita. Na Folha de S.Paulo chegou a circular uma ordem por escrito com a proibição, durante a campanha eleitoral de 2018. Até hoje o veto não foi revogado no jornal dos Frias, mas nas mídias da família Marinho tudo indica que a proibição foi revogada.

A mídia conservadora integrava até agora o cenário do vexame internacional do país. Enquanto Bolsonaro sempre foi qualificado como o que de fato o é pela mídia internacional, um político de extrema-direita, no Brasil os jornalistas que trabalham nos veículos de comunicação corporativo eram (ou ainda são) proibidos de indicar o perfil político-ideológio do presidente do seu país.


 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email