HOME > Mídia

Globo retrata o caos social que ajudou a criar

Em sua manchete deste domingo, 10, o jornal O Globo, que contribuiu decisivamente para o golpe de 2016, aponta que três milhões de brasileiros estão desempregados há dois anos ou mais; ao final de 2014, último ano em que a presidente Dilma conseguiu governar, o desemprego, em 5,4%, era o mais baixo da história; hoje, com o País arrasado pelas forças que puderam Michel Temer no Planalto, o desemprego atinge 13 milhões de brasileiros

Em sua manchete deste domingo, 10, o jornal O Globo, que contribuiu decisivamente para o golpe de 2016, aponta que três milhões de brasileiros estão desempregados há dois anos ou mais; ao final de 2014, último ano em que a presidente Dilma conseguiu governar, o desemprego, em 5,4%, era o mais baixo da história; hoje, com o País arrasado pelas forças que puderam Michel Temer no Planalto, o desemprego atinge 13 milhões de brasileiros (Foto: Aquiles Lins)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Em sua manchete deste domingo, o jornal O Globo, que contribuiu decisivamente para o golpe de 2016, aponta que três milhões de brasileiros estão desempregados há dois anos ou mais.

Jornal cita dados recentes do IBGE que mostram que a parcela de trabalhadores em busca de vagas há dois anos ou mais cresceu na passagem entre o primeiro e o segundo trimestre e já está em 21,7%, ou um em cada cinco desempregados — o maior percentual desde o início da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), em 2012. 

Somados aos que estão parados há pelo menos um ano, o chamado desemprego de longa duração chega a atingir 5,2 milhões de brasileiros, ou quase 40% dos desocupados.

Ao final de 2014, último ano em que a presidente Dilma conseguiu governar, o desemprego, em 5.4%, era o mais baixo da história. Hoje, atinge 13 milhões de brasileiros. 

Leia na íntegra a reportagem do Globo sobre o assunto. 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: