Google e Android: faca de dois gumes

A nova política da empresa melhora os smartphones, mas pode torná-los mais caros

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em uma conferência para desenvolvedores, o Google disse que tentará acabar com os problemas referentes à fragmentação do Android, que ocorrem pela opção das grandes empresas como Motorola, Samsung e outras de montar aparelhos que não vêm com versões atualizadas do OS. Muitas vezes estes aparelhos não suportam uma versão mais nova do sistema, que, por isso, não é atualizada. Também é difícil para estas empresas atualizarem suas skins (mudanças feitas no OS), como o Moto Blur, da Motorola.

Por isso, o Google, a partir da versão Ice Cream Sandwich (2.4) obrigará todas as empresas a montar aparelhos capazes de suportar atualizações do Android por 18 meses. É bom, mas, por outro lado, é ruim. O lado bom: todos os aparelhos terão o poder de suportar os mesmos aplicativos, sem distinção. O lado ruim: ficaria um aparelho muito caro, mesmo para os padrões de preço americano. Além disso, aparelhos de uso mais simples (e mais baratos) como o Xperia Mini, Motorola Defy, Motorola Quench e outros ficariam muito caros, e, por isso, obsoletos ao gosto do público, ou seja, ao serem comparados com aparelhos como o Milestone, que não necessitaria de atualizações.

Outra forma de igualar os smartphones que não receberão atualização é colocando à disposição os mesmos aplicativos para todas as versões. Neste caso, usuários de aparelhos com o OS mais antigo ou que não têm um hardware tão avançado não precisariam procurar por versões "lite", nem em HD para tablets. O que facilitaria muito mais o processo. Também neste caso, todos os desenvolvedores teriam que fazer várias versões de um mesmo aplicativo para poder o colocar no Market.

Mesmo com pontos positivos e negativos, o Google faz certo de tentar controlar seu OS, coisa que não fez quando o liberou para o uso de qualquer um, sem prévio contrato ou obrigação com a empresa. Agora, é tentar negociar um acordo em que todos saiam ganhando, o que por enquanto vai ser difícil de acontecer.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email