Governo contesta apagão da Folha em 2014

O ano de 2013 começou, para a Folha de S.Paulo, com um apagão iminente, desmentido pelas termelétricas e pelas chuvas. Depois, surgiu a tese de que não era mais um apagão que ameaçava o Brasil, mas 'apaguinhos' espalhados pelo País. Agora, surge a possibilidade de apagão em 2014, já desmentida pelo governo. Qual é a próxima?

Governo contesta apagão da Folha em 2014
Governo contesta apagão da Folha em 2014
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ano de 2013 começou, para a Folha de S.Paulo, com um apagão iminente, indicado, pretensamente, por uma reunião emergencial que, saberíamos horas depois, estava marcada desde o ano passado (relembre). Na semana passada, surgiu a tese de que não era mais um apagão que ameaçava o Brasil, mas vários apaguinhos espalhados pelo País, simbolizados pela falha que levou à queda de energia em municípios do Piauí antes da chega da presidente Dilma Rousseff ao estado. Agora, surge a tese do apagão em 2014, já desmentida também pelo governo. Qual será a próxima?

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo desta terça-feira, "O fornecimento de luz para a Copa do Mundo de 2014 está ameaçado em boa parte das cidades-sede, diferentemente do que vem sustentando o governo. É o que mostra um relatório da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), finalizado em dezembro e obtido pela Folha". O problema é que o relatório da Aneel diz que não faltará energia, "mesmo que uma fração das instalações inicialmente propostas não seja tempestivamente concluída".

Apesar de realmente destacar atrasos, o relatório diz que "é importante comentar que a maioria desses atrasos não oferece risco iminente ao abastecimento de energia para a Copa de 2014". "Tal conclusão", diz o texto, "está ampada no fato de ainda ser possível que as concessionárias de distribuição compensem os atrasos com a urgente aceleração do ritmo de implantação das redes e subestações de distribuição".

Leia nota à imprensa divulgada pelo Ministério de Minas e Energia:

O Ministério de Minas e Energia, por meio do Grupo de Trabalho (GT) criado em 30 de agosto de 2010, acompanha e monitora todas as obras definidas como importantes para a garantia do suprimento de energia elétrica durante os eventos do Campeonato Mundial de Futebol, a Copa do Mundo. As reuniões de acompanhamento, coordenadas pelo MME, permitem afirmar, com absoluta segurança, que não há risco de desabastecimento durante a Copa do Mundo de 2014.

O Ministério informa ainda que o duplo suprimento aos Estádios para a Copa das Confederações está garantido, cumprindo assim o compromisso firmado entre o Governo Federal e a FIFA.

O Grupo de Trabalho, que tem a finalidade de definir as obras e ações necessárias para garantir o suprimento de energia para a Copa 2014, realizou em 2012 quinze (15) reuniões nas Cidades-Sedes e seis (6) reuniões em Brasília para verificar e buscar soluções para os problemas identificados pelas distribuidoras.

O relatório da ANEEL, Nota Técnica n° 0188/2012-SFE/ANEEL, citado na reportagem "Para ANEEL, há Risco de Faltar Luz na Copa", publicada no jornal  Folha de S. Paulo desta terça-feira (22/01/2013), foi elaborada com as informações apresentadas pelas Concessionarias de Distribuição no mês de outubro de 2012 e tem como principal foco subsidiar o Ministério de Minas e Energia de informações sobre o cumprimento dos prazos acordados com a Agência. Com base nestas informações do MME realizou em dezembro/2012 reuniões nas cidades-sede para verificar o andamento das obras e adotar providências para o cumprimento de seus cronogramas de execução.

Ao contrário do que afirma a "Folha de S. Paulo", o relatório da Aneel conclui "que a maioria desses atrasos não oferece risco iminente ao abastecimento de energia para a Copa 2014".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247