Guardian: intelectuais britânicos criticam Temer e pedem novas eleições

Um carta redigida por acadêmicos, intelectuais e políticos britânicos, publicada no jornal The Guardian, clama por novas eleições no Brasil; o texto diz que os brasileiros merecem novas eleições "agora"; a carta afirma que desde a saída de Dilma Rousseff, o governo ilegítimo de Michel Temer mostrou suas "verdadeiras cores com duras políticas de austeridade"; "Apesar de não ter mandato, o governo reverteu programas sociais que tiraram 40 milhões de pessoas da pobreza. Suas políticas mergulharam a economia em uma crise mais profunda", diz o texto

Um carta redigida por acadêmicos, intelectuais e políticos britânicos, publicada no jornal The Guardian, clama por novas eleições no Brasil; o texto diz que os brasileiros merecem novas eleições "agora"; a carta afirma que desde a saída de Dilma Rousseff, o governo ilegítimo de Michel Temer mostrou suas "verdadeiras cores com duras políticas de austeridade"; "Apesar de não ter mandato, o governo reverteu programas sociais que tiraram 40 milhões de pessoas da pobreza. Suas políticas mergulharam a economia em uma crise mais profunda", diz o texto
Um carta redigida por acadêmicos, intelectuais e políticos britânicos, publicada no jornal The Guardian, clama por novas eleições no Brasil; o texto diz que os brasileiros merecem novas eleições "agora"; a carta afirma que desde a saída de Dilma Rousseff, o governo ilegítimo de Michel Temer mostrou suas "verdadeiras cores com duras políticas de austeridade"; "Apesar de não ter mandato, o governo reverteu programas sociais que tiraram 40 milhões de pessoas da pobreza. Suas políticas mergulharam a economia em uma crise mais profunda", diz o texto (Foto: José Barbacena)

247 - Um carta redigida por acadêmicos, intelectuais e políticos britânicos, publicada no jornal The Guardian, clama por novas eleições no Brasil. O texto diz que os brasileiros merecem novas eleições "agora".

A carta afirma que desde a saída de Dilma Rousseff, o governo ilegítimo de Michel Temer mostrou suas "verdadeiras cores com duras políticas de austeridade".

"Apesar de não ter mandato, o governo reverteu programas sociais que tiraram 40 milhões de pessoas da pobreza. Suas políticas mergulharam a economia em uma crise mais profunda, deterioraram serviços públicos, como a saúde, e prejudicaram o padrão de vida de milhões de pobres e trabalhadores", diz a carta.

A carta é assinada pelo historiador Richard Gott, pelo produtor musical Brian Eno, por parlamentares e outros nomes importantes.

Veja o artigo no The Guardian 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247