Haddad ironiza espionagem de governo na igreja: Vaticano comuna

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, ironizou o fato da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a mando do General Heleno, estar espionando os bispos da CNBB; "Vaticano comuna: Bolsonaro vê Igreja Católica como opositora, por discutir temas considerados de esquerda, como situação de povos indígenas e quilombolas, e mudanças climáticas", disparou Haddad

Haddad ironiza espionagem de governo na igreja: Vaticano comuna
Haddad ironiza espionagem de governo na igreja: Vaticano comuna

247 - O Palácio do Planalto quer conter o avanço da Igreja Católica na liderança da oposição ao governo Jair Bolsonaro. Na visão do bolsonarismo, a Igreja é uma tradicional aliada do PT e está se organizando para liderar debates em conjunto com a esquerda. O alerta ao governo veio de informes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), chefiada pelo general Heleno, e dos comandos militares. Os relatos são de encontros recentes de cardeais brasileiros com o papa Francisco para discutir o Sínodo sobre Amazônia, que reunirá em Roma, no mês de outubro, bispos de todos os continentes. (Saiba mais aqui).

Ironizando a situação, Fernando Haddad disparou: "Vaticano comuna: Bolsonaro vê Igreja Católica como opositora, por discutir temas considerados de esquerda, como situação de povos indígenas e quilombolas, e mudanças climáticas"

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247