Hashtag contra Glenn Greenwald foi criada por robôs, diz empresa

Estudo da empresa de pesquisas DFRLab, publicado nesta terça-feira (9), concluiu que a campanha online defendendo a deportação do jornalista norte-americano Glenn Greenwald teria sido criada por bots no Twitter

Jornalista Glenn Grenwald, editor do Intercept Brasil, vencedor do prêmio Pulitzer em 2014
Jornalista Glenn Grenwald, editor do Intercept Brasil, vencedor do prêmio Pulitzer em 2014 (Foto: REUTERS / Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik Brasil - Campanha online defendendo a deportação do jornalista norte-americano Glenn Greenwald teria sido criada por bots no Twitter. É a conclusão da empresa de pesquisas DFRLab, segundo publicação desta terça-feira (9) no site Terra.  

Entre as hashtags estudadas pela empresa para entender o fenômeno estava a #DeportaGreenwald. A empresa identificou usuários suspeitos de comportamento automatizado entre os mais ativos na divulgação da campanha. A empresa também afirma que apesar da criação da hashtag ter sido iniciada por robôs, é significativa a participação de usuários reais em sua disseminação posterior.   

Apesar disso, a pesquisa da DFRLab concluiu que algumas das publicações mais populares da campanha eram na verdade a favor do jornalista.  

Vencedor do prêmio Pulitzer após revelações sobre a NSA no caso Snowden, Greenwald virou alvo de perseguição, ameaças e teorias conspiratórias no Brasil após seu trabalho com a equipe jornalística do site The Intercept Brasil em uma série de reportagens que ficaram conhecidas como Vaza Jato.  

O escândalo revelado em 9 de junho mostra mensagens trocadas entre o ex-juiz Sergio Moro e o procurador do Ministério Público Federal, Deltan Dallagnol. As mensagens apontam para para uma possível conduta ilegal de ambos na condução das investigações. Além de Moro e Dallagnol, os nomes mais conhecidos da Operação Lava Jato, os vazamentos também flagram conversas entre diversos procuradores.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247