Inativa, Dilma é uma das mais influentes da política no Twitter

Estudo das empresas Burson-Marsteller e Klout coloca como destaques do ranking o jornalista Ricardo Noblat e o governador de So Paulo, Geraldo Alckmin

Inativa, Dilma é uma das mais influentes da política no Twitter
Inativa, Dilma é uma das mais influentes da política no Twitter (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Assessoria de imprensa - O estudo “Influenciadores do G20”, divulgado nesta semana pela agência de relações públicas Burson-Marsteller e pela companhia de análise de redes sociais Klout, revela que o perfil da presidente Dilma Rousseff no Twitter está entre os mais influentes em assuntos políticos no Brasil. A presidente (@dilmabr) se destaca ao lado do jornalista Ricardo Noblat (@blogdonoblat) e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (geraldoalckmin_).

Para o estrategista de marketing digital Gabriel Rossi, o resultado é surpreendente, já que Dilma não utiliza o microblog desde 2010. E mostra que a pesquisa ressalta os seguidores, não a presidente. “A falta de uso mostra uma total descontinuidade de relacionamento após o período eleitoral. Em 13 de dezembro de 2010 a já presidente eleita disse que o contato via Twitter seria mantido. Mas isso não ocorreu”.

A agência Burson-Marsteller se apressou em soltar uma nota sobre o estranhamento que causou em toda a web. E disse que o levantamento “foi feito com base na metodologia do Klout, que mede diversas variáveis do Twitter, não apenas a atividade dos posts e o número de seguidores. Entre elas estão o alcance, a amplificação e o impacto da rede de seguidores”.

“É um equivoco não mensurar a interação, completamente ausente no caso de Dilma. É assim que medimos a satisfação dos internautas. A primeira mulher a assumir a presidência do Brasil poderia aproveitar sua popularidade e mudar esta postura, dando um exemplo para os governantes de todo o mundo, fazendo da rede social um importante canal de comunicação com a população que representa”, comenta Rossi.

Para ele, já é hora de os governantes assumirem nova postura no relacionamento com o público ao longo da gestão. “É essencial criar um processo de escuta on-line profissional. Também é fundamental identificar os formadores de opinião e entusiastas em cada área, gerando sempre conteúdos novos, estimulando e disseminando informações”.

Segundo conclusão do próprio levantamento, alguns dos políticos mais importantes do Brasil não estão tirando proveito das redes sociais como ferramenta de comunicação estratégica. É o que ratifica Rossi. “Twitter e Facebook são vias de duas mãos. Ao mesmo tempo em que o candidato pode apresentar projetos e plataformas políticas nestas redes sociais, precisa enxergar a vantagem estratégica de utilizá-las como um termômetro dos anseios da população e de como melhorar sua imagem junto ao eleitorado. O segredo é entender bem o comportamento do cidadão na web e desenvolver táticas específicas que maximizem seu potencial na internet”, diz.

“Se tivesse percebido isso, Dilma poderia estar em primeiro, não em segundo lugar. Isso, claro, se o estudo levasse em maior conta a interação”, finaliza o estrategista. Veja aqui um resultado mais detalhado da pesquisa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email