Internautas ironizam dólar a R$ 4,20 e lembram que era só 'tirar Dilma' ou 'eleger Bolsonaro'

Maior cotação da história do dólar, a R$ 4,20, sob o governo Bolsonaro, faz a internet se lembrar de previsões de economistas, mercado e da mídia hegemônica se Dilma não deixasse a presidência ou se Bolsonaro não vencesse as eleições. "Vamos ter que tirar a Dilma de novo", ironizou Marcelo D2

Cotação do dólar
Cotação do dólar (Foto: Reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - A internet não perdoa. E nesta segunda-feira 18, faz questão de lembrar todas as previsões e comentários da mídia corporativa e de colunistas de economia feitos para enganar a população brasileira a respeito do golpe contra Dilma Rousseff e antes da eleição de 2018 a respeito do que aconteceria com o dólar se Dilma não deixasse a presidência ou se Fernando Haddad vencesse.

Uma das previsões mais recorrentes antes do impeachment e das eleições era de que, tirando Dilma da presidência, o dólar cairia. Assim como se Jair Bolsonaro vencesse a disputa em 2018. Nesta segunda-feira, no entanto, a moeda norte-americana alcançou o maior patamar de sua história, aos R$ 4,20.

continua após o anúncio

"Não poderíamos deixar de parabenizar Dilma Rousseff pelo dólar a 4,05, a maior cotação da história do real", noticiou o site O Antagonista em setembro de 2015. Hoje, o tuíte recebeu uma invertida da conta do PSOL na rede social: "não poderíamos deixar de parabenizar Jair Bolsonaro pelo dólar a 4,20, a maior cotação da história do real".

Confira mais algumas repercussões sobre a notícia:

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247