iPads esfolam chineses

Investigao de duas ONGs revelam condies inaceitveis de trabalho na fbrica Foxconn, responsvel pela produo dos dispositivos da Apple

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – As condições desumanas de trabalho na produção de iPads, iPhones e iPods, na linha de produção da Foxconn, na China, já foi retratada por alguns veículos de comunicação. Uma investigação recente realizada por duas ONGs – Centre for Research on Multinational Corporations e Students & Scholars Against Corporate Misbehaviour (Sacom) –, publicada no jornal The Guardian, revelou novas informações sobre a forma de exploração dos funcionários, que chegam a ganhar R$ 1,70 por hora, considerando tempo extra de trabalho, para uma demanda cada vez maior destes equipamentos no Ocidente.

Relatos feitos por funcionários da Foxconn – fabricante dos dispositivos da Apple no país asiático – descrevem horas excessivas de trabalho e regras de comportamento absurdas nas duas maiores plantas da empresa, Shenzhen e Chengdu. A publicação das ONGs dá detalhes da vida de 500 mil trabalhadores, que produzem milhões de produtos da gigante de Steve Jobs a cada ano. O relatório acusa a Foxconn de tratar os trabalhadores “desumanamente, como máquinas”.

Entre as alegações feitas pelos empregados entrevistados pelas ONGs, segundo o jornal The Guardian, estão as horas de trabalho excessivo – que ultrapassam a legislação do país de 36 horas mensais –, um dia de folga entre 13 trabalhados devido a demanda dos produtos da Apple, a humilhação de funcionários que não tiveram boa performance frente a outros colegas, dormitórios lotados – com mais de 24 pessoas e sob regras rígidas – e, um dos mais absurdos: funcionários da fábrica foram obrigados a assinar uma declaração garantindo que não se matariam – a medida foi tomada após uma onda de suicídios registrada no último ano pela companhia.

Em resposta às declarações, o gerente Louis Woo confessou ao jornal britânico The Observer, que pertence ao The Guardian, que os trabalhadores às vezes trabalham horas extras para cumprir as demandas do Ocidente, mas que o trabalho é feito voluntariamente. Os empregados replicam, no entanto, que se diminuírem as horas trabalhadas no mês, são obrigados a receber o salário básico oferecido pela empresa: 1.350 ienes (R$ 328,70) por mês, para um expediente de 48 horas por semana, o equivalente a aproximadamente R$ 1,70 a hora. Em relação aos suicídios, Woo afirmou: “Suicídios não estão relacionados às más condições de trabalho. Existiu um efeito de cópia. Se um comete suicídio, outros o seguirão”. A Foxconn anunciou em abril que criará duas fábricas no Brasil para a produção de iPads no País. Para isso, contratará cerca de 100 mil funcionários.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email