Janio compara acusações de Aécio ao ‘propinoduto’

Colunista Janio de Freitas questiona atitude do presidenciável do PSDB Aécio Neves de dizer que a presidente Dilma Rousseff é cumplice de novo escândalo denunciado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; ele lembra o caso do propinoduto envolvendo gestões tucanas em SP: “A corrupção no governo de São Paulo, envolvendo negócios de metrô e trens, aconteceu nas salas mais próximas do gabinete de mais de um governador”

www.brasil247.com - Colunista Janio de Freitas questiona atitude do presidenciável do PSDB Aécio Neves de dizer que a presidente Dilma Rousseff é cumplice de novo escândalo denunciado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; ele lembra o caso do propinoduto envolvendo gestões tucanas em SP: “A corrupção no governo de São Paulo, envolvendo negócios de metrô e trens, aconteceu nas salas mais próximas do gabinete de mais de um governador”
Colunista Janio de Freitas questiona atitude do presidenciável do PSDB Aécio Neves de dizer que a presidente Dilma Rousseff é cumplice de novo escândalo denunciado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa; ele lembra o caso do propinoduto envolvendo gestões tucanas em SP: “A corrupção no governo de São Paulo, envolvendo negócios de metrô e trens, aconteceu nas salas mais próximas do gabinete de mais de um governador” (Foto: Roberta Namour)


247 – O colunista Janio de Freitas minimiza o valor das declarações do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato da Policia Federal. Segundo ele, o autor da delação premiada não pode ser, em tal circunstância, portador de credibilidade absoluta.

Sob esse argumento, Janio questiona atitude do presidenciável do PSDB Aécio Neves de dizer que a presidente Dilma Rousseff é cumplice do novo escândalo. Ele lembra o caso do propinoduto envolvendo gestões tucanas em SP:

“A corrupção no governo de São Paulo, envolvendo negócios de metrô e trens, aconteceu nas salas mais próximas do gabinete de mais de um governador. Entre eles, para dar um exemplo, Mário Covas. E daí? Nunca ouvi alguém ao menos admitir que Mário Covas soubesse daquela demorada corrupção por ser o governador quando, no ambiente do seu gabinete, pessoas da sua confiança a traíam, em negociatas. E se alguém insinuar algo semelhante de Mário Covas, sem dúvida é um tipo abjeto. Não sei se também aos olhos de Aécio Neves”, disse (leia mais).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email