JN repercute 247 e mostra grampo de Cavendish

cada vez mais delicada a situao da Delta; o Jornal Nacional exibiu nesta segunda-feira o grampo de Fernando Cavendish, publicado ontem no 247; nele, o maior empreiteiro do PAC fala em dar R$ 30 milhes a polticos para obter obras pblicas; o ex-ministro Jos Dirceu foi consultor da empresa

JN repercute 247 e mostra grampo de Cavendish
JN repercute 247 e mostra grampo de Cavendish (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A reportagem de ontem do 247, que exibia um grampo de Fernando Cavendish, da Delta, falando em pagar R$ 30 milhões a políticos para obter obras públicas, acaba de ser repercutida no Jornal Nacional. A divulgação desta fala torna delicadíssima a situação da empreiteira, que foi a maior recebedora de recursos do PAC no ano passado – nada menos que R$ 884 milhões, segundo o Portal da Transparência. O primeiro a divulgar o grampo foi o jornalista Mino Pedrosa, do site Quidnovi, que já foi assessor do bicheiro Carlos Cachoeira (leia mais aqui).

Segundo a investigação da Política Federal, Cavendish e Cachoeira eram praticamente sócios. Já se sabe que a Delta repassou R$ 39 milhões a empresa de fachada controladas por Cachoeira em 2010, ano eleitoral – suspeita-se que este caixa dois tenha alimentado financiamentos de campanha em vários estados.

Em nota, a Delta afirmou que a fala de Cavendish foi feita em tom de bravata. E disse que a construtora respeita as instituições brasileiras (leia mais aqui). Seja como for, a voz é de Cavendish. E o governo federal dificilmente terá como evitar uma decisão radical: a de declarar uma empresa inidônea, proibindo que a mesma participe de futuras licitações. Até porque, num caso bem menos grave, o ministro da Controladoria Geral da União, Jorge Hage, já tomou decisão semelhante.

Assista ao vídeo em que Cavendish fala sobre o preço de um político:

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email