Jô Soares: “impeachment da presidente é golpe”

Em novo discurso progressista, apresentador da Globo defende a aprovação do projeto de lei que altera a meta do superávit primário; "Torcer para que essa lei não seja aprovada é torcer contra o Brasil. Não ter as contas aprovadas não é muito pior?", questiona; sobre a possibilidade de impeachment contra Dilma por crime de responsabilidade fiscal, ele afirma: "Um impeachment, hoje, da nossa presidente, que acabou de ser reeleita, é golpe. Pra mim é golpe"

www.brasil247.com - Em novo discurso progressista, apresentador da Globo defende a aprovação do projeto de lei que altera a meta do superávit primário; "Torcer para que essa lei não seja aprovada é torcer contra o Brasil. Não ter as contas aprovadas não é muito pior?", questiona; sobre a possibilidade de impeachment contra Dilma por crime de responsabilidade fiscal, ele afirma: "Um impeachment, hoje, da nossa presidente, que acabou de ser reeleita, é golpe. Pra mim é golpe"
Em novo discurso progressista, apresentador da Globo defende a aprovação do projeto de lei que altera a meta do superávit primário; "Torcer para que essa lei não seja aprovada é torcer contra o Brasil. Não ter as contas aprovadas não é muito pior?", questiona; sobre a possibilidade de impeachment contra Dilma por crime de responsabilidade fiscal, ele afirma: "Um impeachment, hoje, da nossa presidente, que acabou de ser reeleita, é golpe. Pra mim é golpe" (Foto: Aline Lima)


247 – Na contramão dos porta-vozes da Globo, como o colunista Merval Pereira, do jornal O Globo, ou o jornalista William Waack, o apresentador Jô Soares fez ontem mais um discurso progressista, assustando novamente as "meninas" que participam do seu programa com comentários sobre temas políticos (assista aqui).

O projeto de lei que altera a meta do superávit primário, cuja tentativa de aprovação causou confusão ontem e hoje no Congresso, foi defendido ferrenhamente por ele. "Torcer para que essa lei não seja aprovada é torcer contra o Brasil", disse. "Não fechar as contas não é muito pior?", questionou. "E a oposição tá batalhando por isso", acrescentou.

Diante do argumento das jornalistas de que os números brasileiros passariam a perder credibilidade internacionalmente, o apresentador explicou: "Não estou falando que está certo, estou falando que pragmaticamente, de repente a Dilma ser atingida por uma lei dessas eu acho que é uma catástrofe para o Brasil depois de Petrobras, de tudo isso. Dizer 'ó, a presidente não fechou a conta, então ó... impeachment'".

No bloco seguinte, o tema do impeachment continuou. A jornalista Ana Maria Tahan, uma das "meninas", comparou o momento com o do ex-presidente Fernando Collor, que sofreu impeachment e o Brasil "sobreviveu". Segundo ela, os brasileiros sobrevivem a tudo, pois têm sempre o otimismo de que as coisas vão melhorar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jô discordou. "O Brasil vivia um outro momento [na época de Collor], era uma coisa inteiramente nova no Brasil acontecer isso, os caras pintadas na rua... isso sim teve uma repercussão positiva no mundo inteiro. Mas um impeachment, hoje, da nossa presidente, que acabou de ser reeleita, é golpe. Pra mim é golpe", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Lílian Witte Fibe lembrou que essa não é a vontade do eleitor brasileiro, que reelegeu Dilma. "A vontade do eleitor é imperadora", ressaltou. Ana Maria Tahan rebateu, afirmando que nem todos os eleitores sabiam que as contas públicas estavam desorganizadas. "O eleitor do fundo do Amazonas, do Pará, do Nordeste... não sabia não. Sabíamos nós", disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email