Jornalista lança em SP livro sobre trotskistas no Brasil

Jornalista Renato Dias lança em Jundiaí, interior paulista, "Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21", em que identifica a existência de 28 organizações revolucionárias, adeptas das ideias de Liev Davidovich Bronstein, Leon Trotsky; pesquisador faz perfil do líder da revolução russa e mostra as diferenças táticas e estratégicas entre grupos rivais

Jornalista Renato Dias lança em Jundiaí, interior paulista, "Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21", em que identifica a existência de 28 organizações revolucionárias, adeptas das ideias de Liev Davidovich Bronstein, Leon Trotsky; pesquisador faz perfil do líder da revolução russa e mostra as diferenças táticas e estratégicas entre grupos rivais
Jornalista Renato Dias lança em Jundiaí, interior paulista, "Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21", em que identifica a existência de 28 organizações revolucionárias, adeptas das ideias de Liev Davidovich Bronstein, Leon Trotsky; pesquisador faz perfil do líder da revolução russa e mostra as diferenças táticas e estratégicas entre grupos rivais (Foto: Gisele Federicce)

Ao lado do jornalista, escritor e tradutor Rui Costa Pimenta [SP], neto de João Costa Pimenta, operário gráfico, um dos nove fundadores do PCB [Partido Comunista do Brasil], em 25 de março de 1922, Niterói [RJ], o repórter do Diário da Manhã Renato Dias lança, neste domingo 23, às 14h30, em Jundiaí, São Paulo, no Hotel Fazenda Dinastya, o seu nono livro-reportagem.

O título é 'Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21', RD Comunicações Editora, impresso em junho de 2017. O autor, de 49 anos de idade, é graduado em Jornalismo, formado em Ciências Sociais, com pós-graduação em Políticas Públicas e mestrado em Direito, Relações Internacionais e Desenvolvimento.

À esquerda nos espectros políticos e ideológicos mundial e nacional, os trotskistas são adeptos das ideias de Liev Davidovich Bronstein, explica o escritor. Nascido em 7 de novembro de 1879, em Yanovka, Ucrânia, ele adotou o 'nom de guerre' Leon Trotsky, relata. "Que tomou empres-tado de um carcereiro após prisões políticas sob o czarismo dos Romanov, hegemônico na ve¬lha e atrasada Rússia por 300 anos", reconstitui. O repórter investigativo, após três anos de pesquisas e entrevistas, de norte a sul do Brasil, constatou a existência de 28 organizações revolucionárias. Partidos políticos, frações públicas e clandestinas, correntes internas e coletivos classistas, expõe. Movimentos, que possuem ligações internacionais, com centrais mundiais da revolução proletária e que mantém órgãos de agitação e propaganda, analisa

- Como jornais, revistas e portais, editoras com linhagens fundadas no materialismo histórico e dialético.

Tratam-se de conceitos formulados por Karl Marx, nascido em 1818 e morto em 1883, Friedrich Engels [1820 e 1895], industrial e financiador das pesquisas do velho amigo, assim como do advogado de 'indefectível cavanhaque', o russo Vladimir Ilich Ulianov, codinome Lênin, morto, em 1924, após liderar a Revolução Russa de outubro de 1917. Quatro facções atuam, hoje, dentro do PT. A legenda de Luiz Inácio Lula da Silva, fundada em 10 de fevereiro de 1980, no Colégio Sion, em São Paulo. A principal é a 'Democracia Socialista', que editava o jornal 'Em Tempo', cujos líderes são Raul Pont [RS], ex-prefeito de Porto Alegre, ex-deputado estadual, e Miguel Rossetto [RS], em ministro de Estado, tanto de Luiz Inácio Lula da Silva quan¬to de Dilma Vana Rousseff, que sofreu impeachment em agosto de 2016. Um golpe, define o pesquisador.

Já a seção brasileira da Quarta Internacional, fundada em 1938, na França, corrente 'O Trabalho', é dirigida por uma troika: Markus Sokol [SP], economista, Júlio Turra [SP], sociólogo, e Misa Boito [SP], sindicalista. A tendência 'Combate Pelo Socialismo' possui como porta-voz o professor Heitor Cláudio [SP], que participou do lançamento do livro, em Goiânia, dia 30 de junho último. A 'Corrente Posadista do PT' tem à frente o jornalista Beto Almeida [DF], um dos fundadores da Telesur. É vinculado à Quarta Internacional de J. Posadas, argentino. Radical, a trotskista de identidade 'morenista', que utiliza os conceitos do revolucionário argentino Nahuel Moreno, morto em 1987, Luciana Genro[RS}, que disputou as eleições ao Palácio do Planalto, pelo Partido Socialismo e Liberdade, em 2014, é do 'Movimento da Esquerda Socialista [MES]', observador do antigo SU, o Secretariado Unificado.

O ex-deputado federal João Batista Babá[PA], hoje radicado no Rio de Janeiro, é o 'band leader' da 'CST'. A 'Corrente Socialista dos Trabalhadores', hoje no PSOL. Dissidência da CST, o grupo 'Luta Socialista' é representado pelo sindicalista de Belém do Pará, Douglas Diniz, da direção nacional do PSOL. A 'Insurgência', PSOL, possui o advogado de Goiânia Henrique Le¬mos como um de seus militantes de destaque. O agrupamento dividiu-se, em 2016, em mais três frações. O doutor em Ciências Sociais e professor da Uni¬versidade Federal de Goiás, Flávio Sofiati [SP], é da 'Comuna', ao lado do doutor do Departa¬mento de Economia da PUC de São Paulo [PUC-SP], João Machado [MG]. Vereadora em Niterói, a bela Talíria Petrone [RJ] lidera a 'Subverta'. Vinícius Almeida [RJ], mestre em Ciências Políticas, é do 'Comunismo e Liberdade'.

Preso no Deops [SP], em 1980, ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-metalúrgico José Maria de Almeida [SP]é o velho comandante do PSTU [Partido Socialista Unificados dos Trabalha¬do-res], ligado à LIT [Liga Internacional dos Trabalhadores]. Sob a direção do doutor em História Valério Arcary [SP], o 'MAIS', surgido em 2016, montou um comitê de enlace com a 'Nova Organização Socialista [NOS]'. O MAIS completa um ano, em julho de 2017. Com referência no Partido Obrero da Argentina, de Jorge Altamira, o 'Coletivo Tribuna Classista', tem em seus quadros Freddy Zapelone [SP. Clandestino, há o Partido Operário Revolucionário [POR]. Jornalista formado na Cásper Líbero, Rui Costa Pimenta [SP] é o presidente nacional do trotskista Partido da Causa Operária [PCO]. Ma¬theus Ballardin [RS] é membro do Alicerce.

A 'Luta Pelo Socialismo' [LPS], com o uruguaio Alejandro Acosta, é um racha do PCO, que realizou o seu primeiro Congresso Nacional, em 2017. Médico formado na UNB, com estudos na China, doutorado em Sociologia e pós-doutorado em Serviço Social, Gilson Dantas [DF] é do MRT, Movimento Revolucionário dos Trabalhadores. Thieplo Bertola [RJ], Frente Comunista dos Trabalhadores [FCT]. O educador Péricles de Lima [MG] é dirigente da 'Liga Socialista' e da V Internacional Socialista. Serge Goulart [SC], que era amigo do bolivariano Hugo Chávez, morto em 5 de março de 2013, formou a 'Esquerda Marxista' [EM]. Márcio Torres [RJ] criou o Reagrupamento Revolucionário. Cândido Alvarez [PR], cientista político, é da Liga Bolchevique Internacionalista [LBI], formada em 1995. Como uma dissidência 'sectária' do PCO.

O historiador André Ferrari [SP], um torcedor apaixonado do Palmeiras, controla a Liberdade, Socialismo e Revolução [LSR], como o professor-doutor em Psicologia Política da UFG, Fernando Lacerda. A Tendência Proletária [TP] é coordenada por Gabriel Sales Custódio [MG]. O ativista esquerdista Jhony Silva [RJ] é um dos líderes do Movimento Revolucionário Socialista, denominado de MRS, de linhagens marxista, leninista, trotskista. Com a morte de Leon Trotsky, 1940, e a crise da IV Internacional em 1952 e 1953, a organização fragmentou-se em múltiplas linhas, observa Renato Dias. A existência de 28 organizações que reivindicam o legado de Leon Trotsky, apenas no Brasil, é um sinal claro das divergências, aponta o autor.

Perfil

O escritor Renato Dias é autor dos seguintes livros-reportagem: 'Luta Armada/ALN-Molipo – As Quatro Mortes de Maria Augusta Thomaz'; 'História – Para Além do Jornal – Um repórter exuma esqueletos da ditadura civil e militar'; 'O menino que a ditadura matou – Luta armada, VAR-Palmares, desaparecimento e o desespero de uma mãe'; 'Pequenas Histórias – Cuba, Hoje – Uma revolução envelhecida ou a reinvenção do socialismo – A relação entre Havana e a Casa Branca'; 'Não! Os Sem-Gravata – Um escritor vai à Grécia, diagnostica a crise e vê qual é a do Syriza e da Troika'; '1964-2016 – Página Infeliz da Nossa História – Golpe depõe Dilma Rousseff e anuncia um futuro a Temer'. 'Luta Armada/ALN-Molipo – As Quatro Mortes de Maria Augusta Thomaz – segunda edição revista e ampliada, com novos capítulos e imagens'. Os livros estarão à venda no local: Hotel Dinastya, Avenida Santo Ceolin, 1957, Bairro dos Fernandes, Jundiaí [SP].

Serviço

Lançamento
Livro: Soldados de Leon – Meus Inimigos Estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no século 21
Editora: RD Comunicações Editora
Autor: Renato Dias
Data: 23 de julho de 2017, domingo
Horário: 14 h 30
Local: Hotel Dinastya, Avenida Santo Ceolin, 1957, Bairro dos Fernandes, Jundiaí [SP]
Preço do Livro: R$ 75,00 – Edição de luxo, com capa dura e design moderno

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247