Kennedy: grampo de Reinaldo é novo abuso da Lava Jato

 jornalista Kennedy Alencar também criticou a divulgação de conversa do jornalista Reinaldo Azevedo com Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB); "A lei de interceptação telefônica é clara. Grampo sem relação com o objeto da investigação deve ser destruído. Não pode nem ser transcrito, a não ser que haja indício de eventual crime", diz; "Em 2016, a divulgação de uma conversa de um filho com dona Marisa, esposa de Lula que morreu em janeiro, não tinha relação com a investigação. O grampo da conversa entre a então presidente Dilma e o ex-presidente Lula foi considerado ilegal pelo ministro Teori Zavascki, que faleceu em janeiro", lembrou

 jornalista Kennedy Alencar também criticou a divulgação de conversa do jornalista Reinaldo Azevedo com Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB); "A lei de interceptação telefônica é clara. Grampo sem relação com o objeto da investigação deve ser destruído. Não pode nem ser transcrito, a não ser que haja indício de eventual crime", diz; "Em 2016, a divulgação de uma conversa de um filho com dona Marisa, esposa de Lula que morreu em janeiro, não tinha relação com a investigação. O grampo da conversa entre a então presidente Dilma e o ex-presidente Lula foi considerado ilegal pelo ministro Teori Zavascki, que faleceu em janeiro", lembrou
 jornalista Kennedy Alencar também criticou a divulgação de conversa do jornalista Reinaldo Azevedo com Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB); "A lei de interceptação telefônica é clara. Grampo sem relação com o objeto da investigação deve ser destruído. Não pode nem ser transcrito, a não ser que haja indício de eventual crime", diz; "Em 2016, a divulgação de uma conversa de um filho com dona Marisa, esposa de Lula que morreu em janeiro, não tinha relação com a investigação. O grampo da conversa entre a então presidente Dilma e o ex-presidente Lula foi considerado ilegal pelo ministro Teori Zavascki, que faleceu em janeiro", lembrou (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Kennedy Alencar também criticou a divulgação de conversa do jornalista Reinaldo Azevedo com Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB). 

"A lei de interceptação telefônica é clara. Grampo sem relação com o objeto da investigação deve ser destruído. Não pode nem ser transcrito, a não ser que haja indício de eventual crime", diz Kennedy. 

"Pelo que se sabe até agora, esse episódio se junta a outros. Em 2016, a divulgação de uma conversa de um filho com dona Marisa, esposa de Lula que morreu em janeiro, não tinha relação com a investigação. O grampo da conversa entre a então presidente Dilma e o ex-presidente Lula foi considerado ilegal pelo ministro Teori Zavascki, que faleceu em janeiro", lembrou o jornalista. 

Kennedy lembrou que o Ministério Público e o Judiciário são instituições com muito poder. "Quem possui tamanha força tem de agir com muita responsabilidade, sob pena de ferir o Estado democrático de direito e de manchar o combate à corrupção com ilegalidades", afirma. 

Leia o texto na íntegra no Blog do Kennedy

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247