Kennedy: Jornalista não pode ser criminalizado por publicar fato de interesse público

"É preciso cuidado para não criminalizar o jornalismo no Brasil", escreve o jornalista Kennedy Alencar; "Moro e Dallagnol não têm autoridade moral para criticar o jornalismo que trouxe a público o modus operandi deles na Lava Jato"

(Foto: 247 | Senado)

247 - "Na largada, vamos logo deixar claro: o jornalismo não pode ser criminalizado por publicar vazamentos de interesse público se o jornalista e o veículo de imprensa não cometeram crime", escreve o jornalista Kenendy Alencar em seu blog, após a prisão de "hackers" suspeitos de terem invadido o celular do ministro Sérgio Moro (Justiça), para quem a divulgação dos diálogos entre ele e procuradores da Operação Lava Jato é fruto de um crime. 

"Moro fez uma acusação grave a respeito de investigação que está em curso e que é realizada por subordinados dele. É receoso, para dizer o mínimo, que aja assim no cargo que ocupa. Vamos repetir: se uma fonte comete crime e passa uma informação de interesse público, o jornalista tem o dever de publicá-la", continua.

Segundo o jornalista, "lá nos Estados Unidos, país com o qual Moro tanto se identifica, casos desse tipo já foram pacificados pela Suprema Corte faz tempo".

"É preciso cuidado para não criminalizar o jornalismo no Brasil. Houve vazamentos ilegais da Lava Jato que não despertaram o menor interesse em ter seus vazadores investigados e punidos. Moro e Dallagnol não têm autoridade moral para criticar o jornalismo que trouxe a público o modus operandi deles na Lava Jato".

Leia a íntegra no Blog do Kennedy Alencar

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247