Kennedy: manobra por anistia foi feita por principais aliados de Temer

Jornalista Kennedy Alencar afirma que "PSDB, DEM, PMDB e PP fracassam ao tentar anistiar caixa 2" praticado no passado, na Câmara, "na calada de uma noite de segunda-feira, de tocaia, sem alarde", e avalia que esse "fracasso é o retrato da decadência do atual Congresso Nacional"; ele lembra que "os articuladores da manobra foram os principais partidos da base de apoio do governo Temer"

Jornalista Kennedy Alencar afirma que "PSDB, DEM, PMDB e PP fracassam ao tentar anistiar caixa 2" praticado no passado, na Câmara, "na calada de uma noite de segunda-feira, de tocaia, sem alarde", e avalia que esse "fracasso é o retrato da decadência do atual Congresso Nacional"; ele lembra que "os articuladores da manobra foram os principais partidos da base de apoio do governo Temer"
Jornalista Kennedy Alencar afirma que "PSDB, DEM, PMDB e PP fracassam ao tentar anistiar caixa 2" praticado no passado, na Câmara, "na calada de uma noite de segunda-feira, de tocaia, sem alarde", e avalia que esse "fracasso é o retrato da decadência do atual Congresso Nacional"; ele lembra que "os articuladores da manobra foram os principais partidos da base de apoio do governo Temer" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Kennedy Alencar aponta que a "manobra" para tentar anistiar as doações por meio de caixa 2 praticadas até hoje por parlamentares foi articulada pelos "principais partidos da base de apoio do governo Temer": PSDB, DEM, PMDB e PP.

Esses partidos fracassaram ao tentar aprovar a medida "na calada de uma noite de segunda-feira, de tocaia, sem alarde". Para Kennedy, esse "fracasso é o retrato da decadência do atual Congresso Nacional". ]

Kennedy explica que "não falta lei no Brasil a respeito de caixa 2. Falta punição". E diz que "o passado poderia ser punido por essa legislação eleitoral, financeira e tributária que já trata da prática de caixa 2" no País. "Logo, provavelmente, a anistia teria de ser explicitada por meio de emenda", acredita.

Leia aqui a íntegra.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email